Portugal
"Temos de juntar estes pedaços, porque há muito ponto para jogar"
2021-04-11 20:50:00
Manuel Machado sofre segunda goleada desde que assumiu comando do Nacional

Estados de espírito naturalmente diferentes dos treinadores de Santa Clara e Nacional, após a vitória por 5-1 dos açorianos diante dos madeirenses, nos Açores, em jogo da 26.ª jornada da I Liga. 

 Manuel Machado, treinador do Nacional, estava rendido às evidências e deu os parabéns ao adversário. “Relativamente ao resultado e justeza da vitória, parabéns ao Santa Clara, não há muito a dizer por aí. Relativamente ao desenrolar do jogo, quando, julgo que na segunda finalização, uma equipa que está numa posição da tabela difícil sofre um golo muito cedo, isso acentua de facto a falta de confiança, que seria necessária para enfrentar esta equipa que está tranquila na tabela”, resumiu. 

O técnico enfatiza o estado anímico da equipa, com um ”grau de confiança baixo” e notou melhorias na equipa, na segunda parte. “Ao nível das alterações, parece-me que acrescentaram algo à qualidade do nosso jogo, na retoma da partida, simplesmente uma descontração ao primeiro ou segundo minuto dá o 3-0. Isso acaba quase. A equipa quando sofre o terceiro praticamente a remontada fica impossível. Quando se acresce ainda ter a oportunidade reduzir de novo e falhar um penálti, a coisa ainda mais se agudiza”, complementa, na conferência de imprensa. 

Temos de trabalhar do ponto vista anímico para de alguma maneira juntar estes pedaços todos e tentar, porque ainda há muito ponto para jogar e temos confiança que a equipa com a vitória retomará a confiança necessária para disputar até à última jornada a permanência nesta divisão. É isso que queremos, é isso que acreditamos, apesar desse pedaço de mau caminho”, conclui Manuel Machado.  

Por seu turno, João Henriques regozijava, porque o objetivo da época está atingido. “Hoje foi uma vitória muito importante, porque nos deu o principal objetivo do clube, que era aquilo que todos desejávamos. Esta manutenção tem muito significado para nós. Tem da minha parte uma dedicatória, existe um principal responsável, que é o meu presidente”, disse. 

Sobre o jogo, destaca a entrada forte e tentativa bem-sucedida de marcar cedo: “A entrada forte em jogo quer na primeira, quer na segunda parte, foi algo que nós falámos muito antes e ao intervalo. A importância do marcar primeiro, a importância de marcarmos presença em jogo. O entrar forte significa marcar presença como referi, dizer que estamos aqui na procura de aumentar o 'score' e não permitir ao adversário facilidades.