Portugal
Sub-21: Nova geração, Seleção renovada e o objetivo do Europeu intacto
2017-09-05 19:00:00
Os Sub-21 portugueses começam, esta terça-feira, o apuramento para o Europeu 2019, com uma nova geração de jogadores

Uma Seleção renovada, com uma nova geração a surgir e a alinhavar-se a alguns dos jogadores que já faziam parte das escolhas de Rui Jorge. É com este semblante que os Sub-21 portugueses iniciam, nesta terça-feira, a caminhada rumo ao Europeu de 2019, com o primeiro jogo da fase de apuramento contra o País de Gales. Da comitiva que esteve presente no Euro deste ano, apenas cinco jogadores se mantêm às ordens do timoneiro dos jovens portugueses, com vários a chegarem provenientes dos Sub-20 nacionais.

Joel Pereira, Fernando Fonseca, Rúben Neves, João Carvalho e Renato Sanches. Cinco jovens, com maior predominância de centrocampistas entre eles, que estiveram presentes na última convocatória dos Sub-21 portugueses e que continuam entre as escolhas mais recentes de Rui Jorge. De facto, são estes os únicos que se mantêm daqueles que marcaram presença na prova em que Portugal caiu na fase de grupos.

Ao invés dos que permanecem, são 14 os jogadores na convocatória de Rui Jorge ainda sem qualquer internacionalização pelos Sub-21, não obstante os trajetos que têm vindo a ter nas seleções jovens portuguesas. São eles Diogo Costa, Pedro Silva, Francisco Ferreira, Ivanildo Fernandes, Jorge Fernandes, Diogo Dalot, Pedro Amaral, Rúben Dias, Bruno Xadas, Gil Dias, João Gamboa, Pedro Delgado, Xande Silva e Diogo Gonçalves. Do outro lado em termos de jogos pelos Sub-21, encontram-se principalmente Rúben Neves (21 internacionalizações pelos Sub-21) e também Gonçalo Guedes (11 internacionalizações pelos Sub-21) e João Carvalho (nove internacionalizações nos Sub-21).

Com uma média de idades de 19,9 anos nesta primeira convocatória, a Seleção que tantos jovens tem catapultado para a turma de Fernando Santos parte para esta fase de qualificação com um figurino diferente, mas com o mesmo objetivo, que tem sido a norma nos tempos mais recentes. O apuramento para o Europeu (Portugal esteve na competição em 2017 e 2015) é a meta em vista no trajeto delineado por Rui Jorge. Assim já o atestou o técnico, não obstante o facto de pretender que o conjunto pense jogo a jogo, com a vitória sempre na mente. "Pensar nos jogos, prepará-los e saber quais os pontos fortes dos adversários", foi o mote dado por Rui Jorge, em declarações reproduzidas pela Federação Portuguesa de Futebol.

Sub-20 como paragem comum no trajeto até aos Sub-21

São poucos os jogadores que permanecem do conjunto que esteve no Europeu de Sub-21 em junho passado, mas são vários os que chegam à equipa comandada por Rui Jorge provenientes da Seleção Sub-20 que esteve na Coreia do Sul, já este ano. Ao todo, são 10 os atletas que estiveram às ordens de Emílio Peixe no Mundial da categoria e que subiram agora mais um degrau na carreira, ao chegar ao patamar que antecede uma possível futura chamada à principal equipa das quinas.

A linha defensiva é o setor destes Sub-21 que mais jogadores ‘recebe’ dos Sub-20, a começar pelos guarda-redes Diogo Costa e Pedro Silva. O jovem guardião do FC Porto, agora com 17 anos, foi o titular de todos os compromissos da turma de Emílio Peixe na competição. Ao avançar no terreno, Jorge Fernandes, Diogo Dalot, Rúben Dias e Francisco Ferreira provêm também da Seleção Sub-20, assim como os médios Bruno Xadas (foi figura de destaque dos portugueses na prova, pelas exibições e golos apontados) e Pedro Delgado e os avançados Diogo Gonçalves e Xande Silva.

Renato Sanches e o estatuto de campeão europeu

Nesta Seleção de Sub-21, há um tema ao qual não se pode fugir, devido a toda a tinta que tem feito correr na imprensa internacional. Depois de ter sido campeão europeu pela Seleção principal portuguesa no Europeu 2016, Renato Sanches é agora presença constante nos eleitos de Rui Jorge, após já ter sido escolha do selecionador no Europeu deste ano e de ter ficado de fora das opções de Fernando Santos para a Taça das Confederações.

Não obstante o estatuto que pode vir junto de, aos 20 anos, contar com um Europeu de seleções no palmarés, Renato Sanches já colocou de parte que esteja acima de qualquer outro jogador atualmente às ordens de Rui Jorge. "Não estou preocupado com isso, só estou preocupado com os portugueses e em representar bem o país. Quero tentar fazer um bom jogo [contra o País de Gales], eu e os meus colegas. Isso é que é o mais importante. Nesta seleção não há estatutos. O estatuto não faz o jogador jogar. O mais importante é a equipa”, referiu recentemente o médio do Swansea City à comunicação social, antes de uma das sessões de treinos da Seleção durante estes dias mais recentes.

Os próprios colegas corroboram a ideia de Renato Sanches. Francisco Ferreira também já veio a público assegurar que não existem estatutos de superioridade nos Sub-21 (recordar que Rúben Neves e Gonçalo Guedes também já têm duas internacionalizações pela Seleção A), embora tenha reconhecido que Renato se encontra na linha da frente no que diz respeito a um lugar entre o onze inicial. “[Renato Sanches] é mais titular do que os outros. (…) esse jogador já foi campeão europeu e outros que já cá estavam não pensam que são mais do que outros. São mais titulares, como toda a gente sabe, mas não passa daí”, salientou o defesa à comunicação social.

Benfica é o ‘grande’ português que mais jogadores empresta aos Sub-21

Da lista de convocados para o primeiro compromisso português na fase de apuramento para o Europeu de 2019 de Sub-21, é percetível que o Benfica é a equipa que mais jogadores ‘empresta’ à turma orientada por Rui Jorge. Os encarnados têm cinco atletas ao serviço da jovem seleção, sendo eles Diogo Gonçalves, João Carvalho, Rúben Dias, Francisco Ferreira e Pedro Amaral, com os três primeiros a integrarem o plantel de Rui Vitória e os restantes dois a jogarem regularmente pela equipa B das ‘águias’. De notar também a presença de André Horta, cujo passe pertence ao Benfica, mas que está, no momento, emprestado ao SC Braga.

FC Porto e Sporting, por seu turno, contam igualmente quatro jogadores na comitiva que começa a caminha rumo ao Europeu de 2019. Do lado dos azuis e brancos, estão presentes Diogo Costa, Jorge Fernandes, Diogo Dalot e Luís Mata. Tanto Diogo Costa, como Dalot, são presenças habituais nos treinos da equipa principal do FC Porto. Referir também neste caso, assim como sucede com o Benfica, que Fernando Fonseca, nas escolhas de Rui Jorge, pertence aos ‘dragões’, mas está emprestado ao Estoril-Praia.

O Sporting ‘empresta’, aos Sub-21, Pedro Silva, Ivanildo Fernandes, Pedro Delgado e Rafael Barbosa, com o guarda-redes a integrar os treinos sa equipa orientada por Jorge Jesus e os restantes a serem jogadores de destaque na equipa secundária leonina.

De referir ainda que cinco dos jogadores presentes atuam no estrangeiro. São eles Gonçalo Guedes (Valência CF, por empréstimo do Paris Saint-Germain), Gil Dias (Fiorentina, por empréstimo do AS Mónaco), Renato Sanches (Swansea City, por empréstimo do Bayern Munique), Rúben Neves (Wolverhampton WFC) e Joel Pereira (Manchester United).

Grupo do apuramento tem na Suíça o principal rival

Com a presença em Itália e São Marino (locais que acolhem o Europeu Sub-21 de 2019) como principal objetivo, a equipa das quinas tem pela frente, no apuramento, um grupo com a Suíça, País de Gales, Bósnia e Herzegovina, Roménia e Liechtenstein como adversários. No agrupamento, a Suíça perfila-se como o principal rival de Portugal para o primeiro lugar.

De referir que, das 54 seleções presentes no apuramento, apenas onze se irão qualificar para a competição, tendo em conta que Itália está automaticamente na prova. Aos nove primeiros classificados dos grupos, juntar-se-ão mais duas seleções, que sairão de um play-off disputado entre os quatro melhores segundos classificados (tendo em conta apenas os resultados diante dos cinco primeiros classificados dos respetivos grupos). De todas as seleções presentes no apuramento, há que destacar as estreias de Kosovo e Gibraltar, novos nestas andanças.

Primeira convocatória no apuramento para o Europeu:

Guarda-redes: Diogo Costa (FC Porto), Joel Pereira (Manchester United) e Pedro Silva (Sporting).

Defesas: Fernando Fonseca (Estoril-Praia), Ivanildo Fernandes (Sporting), Jorge Fernandes (FC Porto), Diogo Dalot (FC Porto), Ruben Dias (Benfica), Ferro (Benfica), Luís Mata (FC Porto) e Pedro Amaral (Benfica).

Médios: Rúben Neves (Wolverhampton WFC), André Horta (Benfica), Xadas (SC Braga), Renato Sanches (Swansea City); João Carvalho (Benfica), João Gamboa (Marítimo), Pedro Delgado (Sporting), Rafael Barbosa (Sporting) e Gil Dias (Fiorentina). 

Avançados: Xande Silva (Vitória de Guimarães), Diogo Gonçalves (SL Benfica) e Gonçalo Guedes (Paris Saint-Germain).