Portugal
"Sporting tem mecanismos muito simples de fazer golos", destaca Rui Vitória
Redação
2021-01-31 15:05:00
Treinador elogia Rúben Amorim e destaca dinâmicas dos atacantes do Benfica

Rui Vitória, treinador do Benfica entre 2015 e 2019, considerou que não há um claro favorito para o dérbi de segunda-feira, dia em que o Sporting recebe a formação encarnada, para a 16.ª jornada da I Liga.

"Qualquer das equipas tem argumentos para ganhar", adiantou o técnico, passando depois a um olhar mais atento sobre a prestação de leões e águias no campeonato.

"O Sporting está a fazer uma belíssima campanha. Temos ali um treinador [Rúben Amorim] com uma grande qualidade. Vejo o Sporting com muito pragmatismo, a equipa acredita que tem mecanismos muito simples de fazer golos", analisou.

O Benfica tem "uma equipa forte, recheada de bons jogadores", e que a qualquer momento "pode ter rendimento mais elevado". "Com os jogadores que tem na frente, aquelas dinâmicas que estabelecem podem criar muito perigo", salientou.

Atualmente sem clube, Rui Vitória recusou fazer uma antevisão do encontro, ficando-se por esse olhar sobre as duas formações. Ainda assim, com a experiência de nove dérbis lisboetas (registando dois triunfos, quatro empates e três derrotas), adiantou que estes jogos são propícios a surpresas táticas, pois quando são feitas noutras partidas passam por "pormenores".

"Nos outros jogos também surgem, mas não têm a tal expressão. Muitas vezes, fazemos uma alteração, mas ninguém repara", argumentou.

Frisando que "todos os treinadores querem sentir a ansiedade dos dérbis", em declarações à TVI, o antigo técnico das águias lamentou que no futebol português haja tão poucos jogos com a intensidade de um Sporting-Benfica.

"São jogos vividos com uma intensidade diferente. É pena que assim seja, porque deveríamos arranjar mais dérbis ao longo do ano, ou seja, os jogos do nosso campeoanto deviam ter intensidades mais altas, desgastes mentais maiores", explicou.

Garantindo que aceitava treinar "qualquer clube em Portugal", desde que concordasse com os "objetivos", Rui Vitória falou sobre o que "correu mal" na passagem pelo Benfica: "Isso daria para um livro. Mas houve uma série de coisas não funcionaram bem. Às vezes as coisas estão a rolar e depois, no mesmo contexto e com as mesmas pessoas, mudam".

O técnico deixou a Luz de consciência tranquila. "Não estou muito preocupado com isso, se valorizam muito ou pouco [o trabalho feito]. Sei que fizemos um trabalho fantástico e isso para mim é muito gratificante", reagiu.

Rui Vitória defendeu ainda a aposta em João Félix, em detrimento de Jonas. "Na altura, tínhamos mudado para um sistema de 4x3x3, onde o Jonas era o avançado e o João era um jogador para um zona mais interior. Se voltasse atrás voltaria a fazer a mesma gestão? Sim, na altura fiz em consciência. Internamente, todos sabiam que Jonas era o passado e o Félix o futuro do Benfica", finalizou.