Portugal
"Sporting tem marca na camisola e árbitros têm a mesma. Aí já não há conflito"
2022-07-11 12:55:00
"Na casa dos outros é que a barraca está armada", critica ex-jogador do FC Porto

O negócio entre FC Porto e SC Braga a propósito da transferência de David Carmo para o Estádio do Dragão tem dado que falar por conta de uma alegada cláusula que permite ao clube minhoto receber meio milhão de euros de cada vez que os portistas forem campeões nacionais.

O FC Porto já reagiu pela voz de Pinto da Costa e o SC Braga, em comunicado assinado por António Salvador, também destacou a legalidade da prática na casa que comanda, sendo que Jorge Amaral, antigo jogador dos portistas, lamenta toda esta "barraca" montada pelos rivais dos portistas.

De resto, o ex-jogador dos azuis e brancos faz referência a uma alegada cláusula existente no negócio de Marcus Edwards entre Sporting e Vitória de Guimarães.

"Aí não há problema nenhum, as coisas são normais, não há problema nenhum. Na casa dos outros é que a barraca está armada. Quando é na nossa casa estamos todos caladinhos. Somos sérios, os outros são grandes mentirosos", comentou o antigo atleta do FC Porto, velando críticas em direção a Alvalade, com referências a "padres", lembrando coisas importantes que acredita que deveriam merecer a atenção dos leões, por exemplo.

"Vocês [Sporting] andaram atrás dos padres e depois meteram a viola no saco quando foi o campeonato 2015/16. Nunca mais disseram nada. Agora, andam a pensar nos campeonatos de há 50 anos e de há 60 anos. Esses é que são importantes", salientou Jorge Amaral, que falava em declarações no canal de televisão CMTV.

Por conseguinte, o antigo jogador do FC Porto realçou que "todos têm cláusulas destas" como o FC Porto e SC Braga acordaram e por isso não entende tamanha discussão.

Todavia, Jorge Amaral refere que Sporting e equipas de arbitragem têm estampado nas camisolas um patrocínio igual e, diz, aí não notou críticas dos leões quanto à questão ética.

"O Sporting tem uma marca na camisola e os árbitros têm a mesma. Aí já não há conflito de interesses. É tudo pacífico, não há problemas. Está tudo bem", ironizou o antigo jogador do FC Porto.

A propósito do negócio de David Carmo, Pinto da Costa salientou que "quem não é sério vê maldade em tudo". "Fizemos o contrato com o David Carmo sem haver alguma caneta ou esferográfica. Foi um aperto de mão e estava feito", referiu o presidente do clube da Invicta Pinto da Costa.

Por seu turno, o SC Braga destacou a legalidade das práticas da sua administração. "Nunca, em quase 20 anos na presidência, permiti que qualquer contrato celebrado com terceiros interferisse com treinadores e jogadores, como certamente reconhecerão todos aqueles que passaram pelo SC Braga", assinalou António Salvador.

O presidente do clube bracarense realçou que todos que passaram por Braga encontraram nessa casa "um compromisso absoluto e intransigente para com a competição e para com a responsabilidade máxima de, em cada jogo, honrarem o nome do clube, entrando em campo para vencer, seja onde e quando for, seja contra quem for".