Portugal
Sporting soma 16 jogos de 'seca' entre 'grandes' na I Liga
2021-01-31 12:00:00
Leões somam sete empates e nove derrotas nos últimos confrontos com Benfica e FC Porto para o campeonato

O Sporting está a atravessar uma grande ‘seca’ no que respeita a triunfos nos jogos entre ‘grandes’ para a I Liga portuguesa de futebol, que já se cifra em 16 jogos e dura desde a época 2016/17.

O derradeiro triunfo dos ‘leões’ aconteceu em 28 de agosto de 2016, na receção aos ‘azuis e brancos’ (2-1), na terceira jornada do campeonato, com tentos de Slimani, aos 14 minutos, e Gelson Martins, aos 26, em resposta ao golo de Felipe, aos oito.

Depois dessa vitória, há mais de quatro anos, em plena ‘era’ Jorge Jesus, não mais os ‘leões’ bateram Benfica ou FC Porto na principal prova do calendário luso, somando sete empates e nove derrotas, com 13 golos marcados e 25 sofridos.

A última vitória data de 2016/17, mas foi também nessa época que começou o ‘jejum’ do Sporting, que, depois de vencer em casa o FC Porto, perdeu na Luz e no Dragão por 2-1 e empatou 1-1 na receção aos ‘encarnados’.

Salvio e Jiménez selaram a vitória do Benfica e um ‘bis’ de Soares a do FC Porto, com Bas Dost, na Luz, e Alan Ruiz, no Dragão, a reduzirem em vão e, no dérbi em Alvalade, Adrien adiantou os ‘leões’ de penálti e Lindelöf respondeu de livre direto.

Na última época de Jesus em Alvalade (2017/18), o Sporting só perdeu um dos jogos, no Dragão (1-2), mas voltou a não ganhar, somando ‘nulos’ nos jogos em casa e um empate 1-1 na Luz.

Marcano e Brahimi materializaram o triunfo caseiro dos portistas, com Rafael Leão a faturar pelo meio, e, na Luz, Gelson Martins adiantou cedo os ‘leões’, aos 19 minutos, mas, sobre o final, aos 90, Jonas igualou de penálti.

Na época seguinte, o Sporting, com José Peseiro ao comando, voltou a estar perto de triunfar na Luz, logo à terceira jornada, mas à grande penalidade de Nani, aos 64 minutos, respondeu o ‘menino’ João Félix, de cabeça, aos 86.

Já com o holandês Marcel Keizer como treinador, o Sporting empatou a zero na receção ao FC Porto e, depois, apanhou um grande ‘banho de bola’ em Alvalade perante o Benfica, ‘escapando-se’ com um 2-4, para, na última ronda, perder por 2-1 no Dragão.

Seferovic, João Félix, Rúben Dias e Pizzi, de penálti, apontaram os quatro golos do Benfica, enquanto Bruno Fernandes e Bas Dost, também de grande penalidade, amenizaram o desaire.

No Porto, Luiz Phellype adiantou os ‘leões’ já na segunda parte, mas, na parte final, o FC Porto, que precisava de vencer e de um tropeção do Benfica na receção ao Santa Clara – que não aconteceu – para ser campeão, respondeu por Danilo e Herrera.

Na época passada, Jorge Silas orientou o Sporting nos dois jogos da primeira volta e colecionou outros tantos desaires caseiros, por 2-1 com o FC Porto e por 2-0 face ao Benfica, e, na segunda, Rúben Amorim não fez melhor, ao perder por 2-0 no Dragão e por 2-1 na Luz. Quatro jogos, quatro derrotas.

Marega e Soares marcaram em Alvalade, tal como Acuña, que empatou quase sobre o intervalo, Rafa ‘bisou’ em Alvalade, Danilo e o maliano ‘escreveram’ o triunfo no Dragão e, na Luz, decidiu Vinícius, aos 88 minutos, após Sporar ‘anular’ Seferovic.

Já na presente temporada, Rúben Amorim esteve muito perto do terceiro desaire em três jogos, mas safou-se sobre o final, aos 87 minutos, na receção ao FC Porto (2-2), com um tento de Vietto, depois de Uribe e Corona ‘virarem’ Nuno Santos.

Na segunda-feira, em Alvalade, sem público, devido à pandemia da covid-19, o Sporting recebe o Benfica, pelas 21:30, em encontro da 16.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que será arbitrado por Artur Soares Dias, da AF Porto.