Portugal
"Só há um Jesus que pode decidir, neste caso, mas não é o Jesus do Benfica"
Redação
2021-04-13 10:50:00
Declarações sobre Eustáquio merecem reprovação por parte de Domingos

"Se fosse presidente ou treinador do Paços de Ferreira multava-o [Stephen Eustáquio]", disse Jorge Jesus, no final do encontro da Mata Real em relação ao lance no qual o jogador dos pacenses entrou em falta sobre Julian Weigl. Para o treinador do Benfica, o atleta dos castores "prejudicou a equipa e a jogada que ele fez ao Julian [Weigl] não é de profissional". "É nitidamente com a intenção de magoar o Julian. É bem expulso. Esta jogada já não acontece muito no futebol", afirmou Jesus, no sábado.

Estas declarações geraram controvérsia e Jorge Jesus tem sido criticado até por colegas de profissão, que não compreendem aquelas declarações sobre um jogador de futebol. Domingos Paciência, treinador atualmente sem clube, diz não entender como é que alguém que jogou futebol, como Jorge Jesus, pode sustentar aquelas ideias. "Às vezes, fico com a sensação de que o Jesus não foi jogador de futebol. Não compreendo".

Domingos Paciência concorda que "o lance arrepia, mas não há intenção em partir a perna ao Weigl". E o treinador português realça que o próprio jogador que cometeu a falta sobre Weigl sabe o que é estar fora de campo por lesão. "O Eustáquio infelizmente sabe o que é ter uma lesão grave, ficou de fora muito tempo, passou por isso recentemente", concretiza.

Daí que, para Domingos Paciência, os comentários feitos por Jorge Jesus deveriam ser evitados. "O Jesus entrou na liderança de uma instituição e incentivou a um castigo interno do Paços de Ferreira. Isto não é normal. Eu diria que só há um Jesus que pode decidir, neste caso, mas não é o Jesus do Benfica. Acho que um treinador não deve dar pareceres e entrar nas decisões de um clube", referiu Domingos Paciência, em declarações na Renascença.

Em Paços de Ferreira, Eustáquio foi expulso numa partida em que o Benfica venceu por 5-0, somando novo triunfo numa série de bons resultados em que vai vencendo e não sofre golos. Mas para Domingos Paciência não se pode nem deve valorizar estes resultados do Benfica sem que se lhes juntem as expulsões dos adversários.

"O Benfica está numa fase de vitórias, mas não se pode dizer que está numa fase melhor como equipa. Analisando as vitórias e os quatro últimos jogos, que dizem que estão melhores, jogaram com o Boavista contra 10 durante 80 minutos, jogou em Braga contra 10 durante 50 minutos, ganhou 1-0 ao Marítimo de penálti, sofrendo até ao fim, e agora jogou com o Paços de Ferreira durante 70 minutos com mais um jogador", analisa.

Para o treinador português, "isto não permite que se possa dizer que o Benfica cresceu como equipa e que, neste momento, se está a consolidar". Quanto muito, realça Domingos Paciência, pode dizer-se que "é um Benfica vitorioso até ao momento".