Portugal
"Sérgio não se excedeu, fomos espoliados em três penáltis e ele falou em dois"
Redação
2021-04-28 22:45:00
Pinto da Costa anuncia que o FC Porto vai recorrer e exige o mesmo tratamento dado ao Sporting

No dia em que Sérgio Conceição foi castigado com 21 dias de suspensão, na sequência da expulsão no final da partida com o Moreirense, Pinto da Costa saiu em defesa do treinador do FC Porto e deixou críticas ao árbitro Hugo Miguel e ao videoárbitro António Nobre, acrescentando que os dragões vão recorrer para o plenário do Conselho de Disciplina, do qual esperam "o mesmo tratamento" dado ao Sporting.

Em entrevista ao Porto Canal, esta noite, o presidente do FC Porto considerou que Sérgio Conceição “não se excedeu” nos protestos com Hugo Miguel, sustentando que o técnico reclamou “dois penáltis” por marcar a favor dos azuis e brancos quando “a unanimidade” dos analistas entendeu que ficaram por marcar três grandes penalidades em benefício do FC Porto.

“Tudo o que ele disse, e não vou pôr em causa o que está escrito, o que quer que seja, pois sei que disse algumas coisas, é depois de ter levado o cartão vermelho. Quando se ia a dirigir ao árbitro, as palavras do Sérgio foram: 'Ó Hugo, dois penáltis?' E ele leva um cartão vermelho. As palavras foram estas. Ele até só falou em dois penáltis. E exibiu-lhe o cartão vermelho”, afirmou.

Citando o “direito à indignação” celebrizado por Mário Soares, Pinto da Costa pegou na opinião da “unanimidade” para realçar que Sérgio Conceição estava “indignado” por o FC Porto ter sido “espoliado em três penáltis”. Um sentimento que se agravou com os castigos e inquéritos disciplinares abertos a elementos portistas, enquanto à equipa de arbitragem "não acontece nada".

“Quando o Sérgio leva o cartão vermelho, não se tinha excedido. O que me incomoda é que Sérgio Conceição apanha 21 dias. Toda a imprensa, até a que nos é hostil, reconhece que os dois penáltis são indiscutíveis. O próprio Sérgio também só viu dois. Eu estou indignado. E tenho todo o direito, ao ser espoliado a triplicar, como escrevem. Como é que não hei de estar indignado? O árbitro saiu a rir-se. Como é possível o VAR, sentado numa poltrona, com televisão à frente, não ver nenhum penálti? É que não lhes acontece nada", reforçou.

Anunciando que o FC Porto vai recorrer dos 21 dias de suspensão aplicados pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol a Sérgio Conceição, Pinto da Costa exigiu "o mesmo tratamento que o Sporting teve" num caso com Rúben Amorim. "Agora queremos ver o tratamento que nos é dado. Amanhã, quando formos notificados, vamos recorrer para o plenário, como fez o Sporting. Quero o mesmo tratamento que o Sporting teve, que foi castigado num dia e que no dia seguinte o plenário reuniu-se para decidir, porque nós vamos recorrer deste castigo", salientou.

Depois do Conselho de Disciplina, o líder dos dragões apontou a mira à Associação Portuguesa de Árbitros Futebol (APAF), que vai avancar com uma queixa contra Sérgio Conceição: "Depois vem o presidente da APAF protestar... O que o devia preocupar era que a unanimidade considerasse que o FC Porto foi espoliado em três penáltis. Não querer ver as coisas e dar cobertura a este tipo de situações é lamentável".

"Eu disse aqui, há dias, que se fosse normal acreditava que o FC Porto seria campeão. Não é normal haver um jogo em que ficam três penáltis escandolosos por marcar. É anormal. Se tudo tivesse sido normal, eu acredito que o FC Porto podia ganhar o campeonato, neste momento acredito menos. Se me disserem que é normal haver três penáltis por marcar para a mesma equipa eu deixo de ir ao futebol, digo que não concorremos, que vamos com os juniores e que entreguem o título a quem quiserem", finalizou o presidente portista.

Na mesma entrevista, Pinto da Costa falou sobre a alegada agressão a um repórter de imagem da TVI, esclarecendo que ainda não viu qualquer imagem "de Pedro Pinho a agredir seja quem for".