Portugal
"Sérgio era fácil quando jogava e complicado quando não jogava", diz Jorge Costa
Mauro
2020-04-12 19:15:00
Treinador do FC Porto aparece de surpresa em conversa entre dois antigos colegas

Jorge Costa e Vítor Baía estavam a recordar histórias do FC Porto quando um antigo colega apareceu de surpresa na conversa: Sérgio Conceição, o atual treinador dos dragões.

O técnico estava a acompanhar a conversa entre Baía e o 'Bicho', no 'FC Porto em casa', e acabou por se juntar à conversa.

Assumindo ter "uma relação especial" com Sérgio Conceição, Jorge Costa resumiu o caráter do técnico portista em poucas palavras.

"O Sérgio era fácil quando jogava e complicado quando não jogava", brincou.

O antigo central deixou vários elogios ao perfil de Sérgio Conceição, um "insatisfeito por natureza".

"Essa irreverência que toda que existia quando era jovem existe hoje como treinador, faz parte da minha pessoa", salientou Sérgio Conceição, depois de alguns minutos de conversa com os antigos colegas.

"Não escondo o que fui nem o que sou, tenho perdido algumas coisas, mas ganho muitas mais. Tenho um feitio especial por não gostar de injustiças, cresci num meio de muita honestidade e com uma capacidade de sofrimento acima do normal", argumentou.

Vítor Baía e Jorge Costa revelaram depois uma outra história, ocorrida no jogo de homenagem a Deco, entre FC Porto e Barcelona.

Sérgio Conceição ficou irritado com Fernando Santos, o treinador da equipa portista nesse encontro, por... não ser titular.

Perante os risos dos colegas, o antigo extremo explicou a situação, referindo que, quando aceita participar em jogos solidários, faz questão de pagar todas as despesas pessoais.

"Eu pago a minha viagem, o jantar, a estadia e fico no banco?", questionou.

O episódio teve tanto de brincadeira como de seriedade, levando Fernando Santos a perguntar a Jorge Costa se Sérgio Conceição estava mesmo chateado ou não.

"O engenheiro chamou-me, ele está a brincar ou a falar a sério?", contou Jorge Costa.

Agora como treinador, Sérgio Conceição admitiu que a "mística" já não é a mesma de quando era jogador.

"Era muito mais fácil antigamente, quando um treinador entrava num balneário e encontrava uma espinha-dorsal formada no clube, que conhecia a realidade do FC Porto", explicou.

Em contrapartida, agora há mais "profissionalismo" e "dedicação", duas caraterísticas que elogia no atual plantel dos dragões.

"são jogadores absolutamente fantásticos aqueles que eu treino, pertenci a várias gerações e sei aquilo que estou a dizer. Hoje, o jogador é mais consciente do seu trabalho, do que é necessário para se chegar ao topo", finalizou.