Portugal
"Sérgio Conceição tem que decidir se quer aumentar o cadastro ou o currículo"
Redação
2021-04-08 22:50:00
Capristano critica comportamento do treinador do FC Porto depois de dar "uma lição ao Chelsea"

O gesto de Sérgio Conceição no final do jogo do FC Porto com o Chelsea, para a primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões, tornou-se num dos temas do momento. Ao passar por um dos árbitros assistentes, logo após o apito final, o treinador dos dragões criticou o ‘campo inclinado’ a favor dos ingleses. “Somos a única equipa nos quartos de final (e penso que já éramos nos oitavos) que não pertence aos 'big five', aos cinco campeonatos mais fortes, e isso sente-se um bocadinho nestes jogos”, reagiu o técnico, na entrevista rápida à TVI24, quando questionado se estava a queixar-se do ‘campo inclinado’.

José Manuel Capristano, antigo vice-presidente do Benfica, garantiu não ter ficado surpreendido com o gesto e as queixas de Sérgio Conceição. “É useiro e vezeiro nisto, não vale a pena” estar a debater se este comportamento beneficia ou prejudica e o treinador e a equipa do FC Porto, defendeu o ex-dirigente encarnado. “Ele põe-se a jeito, isto é jogo após jogo”, insistiu.

Após ter colocado os dragões nos quartos de final da Liga dos Campeões, Sérgio Conceição deve parar e refletir sobre o que realmente quer para o futuro. “Levou mais um cartão amarelo. Aumentou o seu cadastro. Tem que decidir, de uma vez por todas, se quer aumentar o seu cadastro ou se quer aumentar o seu currículo desportivo”, explicou Capristano, considerando que o técnico portista “tem todas as condições para aumentar o seu currículo desportivo”, não só por ter eliminado a Juventus nos oitavos de final, como por se ter superiorizado ao Chelsea, apesar da formação inglesa ter vencido por 0-2. “Provou que os milhões não jogam”, elogiou o ex-dirigente do Benfica.

Sérgio Conceição já demonstrou ser um treinador extremamente competente, em particular desde que assumiu o comando do FC Porto: porém, segundo Capristano, devia ser mais moderado, não perdendo tanto tempo e energia a envolver-se em polémicas e quezílias, e também mais humilde, pois “quando perde” nunca assume a responsabilidade. “É sempre a arbitragem...”, complementou.

“Diz que é penálti [por empurrão a Marega], quanto muito é livre. Para mim, é falta e há livre”, insistiu o antigo vice-presidente do Benfica, no comentário para a CMTV: “Não foge disto, é uma linha de continuidade, é jogo após jogo. Está habituado a Portugal, onde o deixam fazer tudo. Quando não gganha, é sempre assim. Depois corrigiu-se [na conferência de imprensa] e veio dizer que foram dois erros individuais”. E recuou até aos oitavos de final da Liga dos Campeões, afirmando que “o FC Porto foi beneficiado no jogo com a Juventus” e, nessa altura, Sérgio Conceição ficou em silêncio sobre a arbitragem.

José Manuel Capristano reforçou que não tem qualquer crítica a apontar ao treinador do FC Porto a nível profissional, centrando as críticas no comportamento e na postura de Sérgio Conceição. E deixou rasgados elogios à exibição dos dragões na partida com o Chelsea, lamentando que os ingleses partam em vantagem para a segunda mão dos quartos de final da ‘liga milionária’. “Como português, gostei imenso da forma de jogar do FC Porto, mostrou um grande caráter. Coletivamente, o FC Porto e o seu treinador deram uma lição ao Chelsea”, concluiu.