Portugal
SC Braga vence Boavista e sobe provisoriamente ao terceiro lugar
Redação
2021-04-21 21:05:00
Panteras terminaram o encontro reduzidas a dez devido à expulsão de Porozo

O Sporting de Braga regressou hoje às vitórias ao bater o Boavista, 2-1, na 28.ª jornada da I Liga de futebol, num jogo em que os ‘axadrezados' jogaram com menos uma unidade cerca de 40 minutos.

Num triunfo justo, mas arrancado a ‘ferros', os minhotos estiveram a perder graças ao golo de Sebastián Peréz (28 minutos), mas deram a volta ao marcador por Fransérgio (39) e Sporar (82).

Este triunfo permite aos bracarenses ascenderem, à condição, à terceira posição, ultrapassando o Benfica que só joga quinta-feira, com o Portimonense, no Algarve.

O Boavista, que não perdia há três jornadas (duas vitórias e um empate) e que marca passo na luta pela manutenção, apresentou-se ‘curto' em demasia e pode ‘agradecer' ao seu guarda-redes a derrota pela margem mínima.

No Sporting de Braga, nota para os regressos de Esgaio, Raul Silva e Gaitán ao ‘onze' titular, enquanto no Boavista o destaque foi para a estreia de Nathan e para o facto de Angel Gomes, 23 vezes titular em 27 jornadas, ter começado no banco de suplentes.

A primeira parte foi totalmente dominada pela equipa da casa, que voltou a mostrar grande ineficácia, tantas foram as oportunidades que criou. Logo aos três minutos, Galeno fugiu pela esquerda e serviu Abel Ruiz que quase inaugurou o marcador, mas Léo Jardim mostrou atenção.

Esgaio e Galeno (23 e 24) remataram com muito perigo e um livre direto cobrado por Gaitán (27) deu mesmo sensação de golo.

O Boavista raramente saía do seu meio-campo, mas foi a primeira equipa a marcar na sequência de um cruzamento da esquerda.

Sequeira aliviou para a ‘cabeça' da área onde surgiu Sebastián Perez, sem oposição, a rematar de primeira - Matheus não viu a bola passar por entre a ‘floresta' de pernas e, apesar de ainda ter tocado na bola, não conseguiu evitar o golo dos ‘axadrezados' (28).

A equipa de Carlos Carvalhal não se desnorteou e continuou em busca do golo. Fransérgio esteve muito perto de o conseguir, após centro de Galeno (38), mas, um minuto depois, o cabeceamento do médio brasileiro não falhou após uma jogada semelhante, mas desta vez o cruzamento - excelente - da esquerda saiu de Gaitán.

Jesualdo Ferreira lançou Angel Gomes após o intervalo, mas a segunda parte iniciou-se com um disparate de Jackson Porozo que Luís Godinho inicialmente puniu com penálti sobre Gaitán, decisão revertida após o árbitro da associação de Évora ter visto as imagens do VAR.

O central equatoriano seria expulso pouco depois - segundo cartão amarelo - por uma entrada imprudente sobre Gaitán em zona de pouco perigo, pelo que o Boavista ficou a jogar com menos um jogador desde os 54 minutos.

Com mais uma unidade, o Sporting de Braga lançou-se em busca do segundo golo, mas poucas vezes com discernimento.

Raul Silva falhou de forma clamorosa o segundo após livre lateral (55) e Ricardo Horta atirou por cima (67).

O Boavista passou praticamente só a defender, mas esteve muito perto do golo aos 72 minutos, por Elis, após rápido contra-ataque.

Carlos Carvalhal fez uma tripla substituição pouco depois, refrescando defesa, meio-campo e ataque com Borja, João Novais e Sporar e o ponta-de-lança esloveno seria decisivo ao marcar o golo da vitória, já depois de Léo Jardim ter salvado o Boavista por três ocasiões.