Portugal
SC Braga e Paços de Ferreira empatam na 'pedreira'
2021-05-05 20:55:00
Guerreiros do Minho asseguram matematicamente o quarto lugar

O SC Braga, com uma exibição muito ‘cinzenta', somou hoje o terceiro jogo seguido sem ganhar, ao empatar 1-1 com o Paços de Ferreira, mas garantiu matematicamente o quarto lugar da I Liga de futebol.

João Pedro colocou os pacenses a vencer aos 26 minutos, mas Galeno, aos 78, num penálti que nasceu de um lance caricato, restabeleceu a igualdade, que impede o Paços de Ferreira de 'sonhar' com o primeiro lugar abaixo dos ‘grandes’.

Os bracarenses somaram o primeiro ponto em três jogos e fizeram uma das piores exibições da época, sem confiança e sem ideias, tendo amenizado o resultado com um penálti que ‘caiu do céu': ao bater o pontapé de baliza, Jordi esqueceu-se de Galeno e, depois deste lhe roubar a bola, derrubou o avançado brasileiro.

O Paços de Ferreira teve menos posse de bola, mas foi bem mais perigoso do que o SC Braga, tendo desperdiçado uma soberana ocasião para ‘matar' a partida aos 54 minutos, por Eustáquio.

Os pacenses podem ver o Vitória de Guimarães reduzir para cinco pontos a distância para o quinto lugar, se vencerem o Farense na quinta-feira.

Destaque, nos bracarenses, para a titularidade de Rui Fonte pela primeira vez esta época, depois de longa paragem devido a lesão grave no joelho esquerdo, e para o facto de Galeno, Abel Ruiz e Sporar terem começado o jogo no banco.

No Paços de Ferreira, Pepa fez cinco alterações no ‘onze', tendo causado surpresa Bruno Costa e Douglas Tanque terem sido suplentes.

O SC Braga até assumiu inicialmente iniciativa ofensiva, mas jogava de forma muito lenta. Castro teve dois remates perigosos na ‘cabeça' da área, mas ambos foram cortados pela defesa pacense (15 e 19 minutos).

O Paços de Ferreira defendia bem e foi equilibrando a contenda, tentando sempre sair com perigo e, de um canto cobrado por João Amaral do lado direito, inaugurou o marcador, com João Pedro, mais alto e mais forte do que Bruno Rodrigues, a cabecear com acerto (26 minutos).

Carlos Carvalhal mostrou o descontentamento com o rendimento da equipa mexendo ainda antes do intervalo, aos 36 minutos, lançando Galeno para o lugar do apagado Piazon.

Logo no reatamento da segunda parte, entraram João Novais, Gaitán e Abel Ruiz, a equipa pareceu um pouco mais ligada ao jogo, mas foi o Paços de Ferreira a estar muito perto de fazer o segundo golo, por Eustáquio - a bola saiu a rasar o poste após rápido contra-ataque, aos 54 minutos.

Sem ideias, o SC Braga não conseguia criar situações reais de golo, nem com Sporar em campo a partir dos 70 minutos.

Aos 78 minutos, Jordi ‘ofereceu' a grande penalidade a Galeno, que não desperdiçou a conversão, dando um ponto muito ‘suado' aos bracarenses.