Portugal
“Rúben iria ser um pau-mandado do Ronaldo”
2022-07-25 10:50:00
“Ronaldo iria ser o dono daquilo. Tal como acontece na seleção”, diz Reis, sobre hipotético regresso de CR7 ao Sporting

A indefinição sobre o futuro de Cristiano Ronaldo alimenta um dos rumores de mercado porventura mais irrealistas: o regresso de Ronaldo ao Sporting

O antigo capitão do FC Porto, Rodolfo Reis, analisou esse cenário, no programa Liga D’Ouro, considerando que um eventual empréstimo do internacional português seria positivo do ponto de vista da exposição do Sporting, mas iria ser negativo no balneário leonino. 

“Creio que se viesse para o futebol português, haveria um mediatismo muito grande, porque toda a gente quereria saber o que o Cristiano Ronaldo está a fazer. Mas não era bom para o Rúben. Não era bom, porque o Rúben iria ser um pau-mandado do Ronaldo”, defendeu o antigo defesa portista. 

“Estamos aqui com paninhos quentes? O Ronaldo ia chegar lá e iria ser o dono daquilo. E ponto final, parágrafo. Tal como acontece na seleção. Na seleção, é o Cristiano Ronaldo que dita, que faz, que mexe, que tira, que põe. Alguém tem dúvidas disto? Eu não o posso provar, mas alguém tem dúvidas disto?”, acrescenta.

Reis entende que esse cenário já se verifica na seleção: “O Cristiano manda na seleção, o Cristiano manda no Manchester United e, se viesse para o Sporting, iria ser o dono do Sporting. Esta é a realidade. E o treinador do Sporting sabe que iria perder muita da autoridade que tem agora. Na minha opinião, a opinião de alguém que começou a jogar aos 11 anos, se o Cristiano viesse para o Sporting seria o dono do Sporting. Nem Varandas, nem ninguém mandaria”. 

As probabilidades de Cristiano vestir de novo a camisola do leão, já nesta temporada, é remota, segundo o ex-futebolista. “Acho que o Cristiano Ronaldo está a tentar ir para uma equipa que possa disputar a Liga dos Campeões. Mas disputar para ganhar. Não é para entrar e ser mais um”, aponta.

“É sempre no Dragão… É sempre o FC Porto”

Este comentário de Rodolfo Reis foi feito no rescaldo do jogo dos leões com o Sevilha e numa altura em que o futuro do avançado português permanece em aberto. 

O Sporting foi ontem derrotado pelo Sevilha, no desempate pelas grandes penalidades, após um empate a um golo durante os 90 minutos. Em jogo disputado no Estádio José de Alvalade, relativo ao Troféu Cinco Violinos, os leões foram infelizes nos penáltis, perante uma grande eficácia dos espanhóis.

Rodolfo Reis viu uma equipa “banal” na primeira parte e só reconhece a superioridade leonina após as diversas alterações de Lopetegui, técnico do Sevilha que tirou alguns dos titulares no segundo tempo, ao contrário de Rúben Amorim. 

“O Sporting foi uma equipa banal na primeira parte, perante um grande adversário, que foi o Sevilha. O Sporting ficou a quilómetros daquilo que toda a gente dizia que poderia ser. Na segunda parte, entraram ‘20 ou 30’ jogadores do Sevilha”, resumiu, na CMTV, considerando que a análise a este período do jogo deve ser relativizada. 

Mas Rodolfo Reis foi ainda mais cáustico numa análise ao episódio de tensão provocado por Acuña, após um lance em que Paulinho se lesionou. O antigo defesa do Sporting, agora no Sevilha, simulou que iria colocar a bola fora do relvado para que fosse prestada assistência ao avançado leonino, mas acabou por tentar um ataque perigoso.

O árbitro acabou por ter de parar a partida, para que Paulinho fosse assistido. E foi com o jogo parado que se gerou a confusão, com Acuña como alvo da ira dos leões. Os suplentes do Sporting reagiram e deu-se uma invasão no relvado.

Rodolfo Reis fez um paralelo com as incidências do FC Porto-Sporting, que gerou castigos a jogadores, coletes azuis e uma interdição do Estádio do Dragão por dois jogos.

“Estava a ver este jogo e disse: ‘Estamos no Dragão. Estamos no Dragão’. Porquê? Vi 20 jogadores do Sporting dentro do campo”, afirmou.

O ex-capitão portista referia-se ao momento de maior tensão no encontro, provocado pela atitude de Acuña. “No estádio de Alvalade entraram no relvado 20 pessoas, com o jogo a decorrer. Dentro do campo. Entraram ou não entraram? É sempre no Dragão… É sempre o FC Porto”, ironizou.