Portugal
“Rúben diz fiscal de linha. No curso de treinador ensina-se que são assistentes"
Redação
2021-04-12 09:10:00
De forma sarcástica, ex-árbitro Pedro Henriques 'responde' a Amorim, que criticou decisões de arbitragem

As palavras de Rúben Amorim na conferência de imprensa geraram um comentário irónico do ex-árbitro Pedro Henriques, que retira razão ao treinador do Sporting, nos lances em que o técnico dos leões reclama de decisões erradas. Comentador de arbitragem na TVI24, Pedro Henriques chega até a falar no curso de treinador, que tanta controvérsia tem gerado.  

O Rúben Amorim disse que foi um fiscal de linha a expulsá-lo. Na lei VI, ‘Outros Elementos da Equipa de Arbitragem’ – e dá-se isso nos cursos de treinador de futebol, nos níveis, um, dois, três e quatro –, ensina-se que são árbitros assistentes. Já não há árbitros auxiliares, são árbitros assistentes”, refere o ex-árbitro, naquela estação televisiva, de forma sarcástica.  

Pedro Henriques aludia ao facto de o treinador do Sporting ter estado envolvido numa controvérsia com a Associação Nacional de Treinadores de Futebol, em virtude de exercer funções como treinador, quando não tinha habilitações para o fazer na I Liga. Amorim foi inscrito como adjunto e pôde, desse modo, ‘fintar’ os regulamentos, o que gerou (e ainda gera) muitas críticas por parte daquela associação. 

Por outro lado, o treinador do Sporting defendeu que João Palhinha “foi condicionado” com o cartão amarelo aos nove minutos e falou em "artistas do futebol", garantindo que se referia aos jogadores. Mas Pedro Henriques entende que o técnico estava a apontar o dedo à arbitragem.

“Rúben Amorim desconstruiu bem a palavra ‘artistas’, remetendo artistas os jogadores, mas aquilo que ele pensou que artista era o árbitro”, defende Pedro Henriques. 

Todas as posições defendidas por Rúben Amorim são ‘desmontadas’ pelo ex-árbitro. Na conferência de imprensa, o técnico leonino disse, recorde-se, que o árbitro Rui Costa “nem sabia a razão” pela qual expulsou AmorimPedro Henriques explica que é uma situação normalíssima.

Se o assistente ou o quarto árbitro disserem ao árbitro expulsao árbitro não vai perguntar porquê. Expulsa e, depois, no relatório, é que vai discriminar aquilo que o elemento da sua equipa lhe vai explicar. É assim que funciona uma equipa de arbitragem”, detalha o antigo juiz. 

Por fim, nesta análise na TVI24, Pedro Henriques retira razão a Rúben Amorim nos lances que mais controvérsia geraram, neste Sporting-Famalicão, que terminou empatado a uma bola. “Não há penálti sobre Jovane Cabral e João Palhinha é bem admoestado por um ‘tackle’ lateral”, conclui. 

O Sporting empatou com o Famalicão e viu a vantagem relativamente a FC Porto e Benfica encurtar, para seis e nove pontos, respetivamente. Na conferência de imprensa, Amorim deixou no ar críticas ao trabalho do árbitro e falou, de forma enigmática, em “artistas”, garantindo que se referi aos jogadores, mas sem convencer. 

A frase “temos um bom campeonato, um campeonato cheio de artistas, vamos dar mérito aos jogadores e não vou falar de arbitragem” levou a diferentes entendimentos, sendo que o treinador leonino foi convidado a esclarecê-la e reiterou que quando falou em “artistas” estava a referir-se aos jogadores e não, de forma irónica, aos árbitros.