Portugal
"Roubos de igreja ou caladinhos?". Francisco J. Marques questiona comentadores
Redação
2021-03-31 11:25:00
Porta-voz portista lembra golo não validado ao FC Porto num jogo na antiga Luz

Na tripla jornada de apuramento para o Mundial de 2022, Cristiano Ronaldo foi protagonista de um golo que não foi valiado frente à Sérvia, no passado sábado, e, com isso, instalou-se a confusão no futebol nacional, até porque o duelo não contou com o apoio do sistema de videoarbitragem. E na sequência desse lance, o capitão português tirou a braçadeira e atirou-a ao chão.

Entre lamentos e desagrados por parte dos portugueses a respeito do golo que não foi considerado a Cristiano Ronaldo, e que daria o 3-2 frenta aos sérvios, alguns comentadores do Benfica recordaram, nos últimos dias, um célebre pontapé de Petit num Benfica-FC Porto cuja bola ultrapassou totalmente a linha de golo (dizem os benfiquistas), enquanto que a ideia que fica (para os portistas) é a de que Vítor Baía ainda foi a tempo de tirar a bola antes que esta tivesse passado totalmente a linha de baliza.

A dúvida tem anos e não existe uma resposta que seja capaz de dar reunir entendimento generalizado entre adeptos encarnados e azuis e brancos.

E se volta e meia o tema volta às luzes da ribalta, Francisco J. Marques lembra um outro lance num Benfica-FC Porto em que os dragões se queixam de que não foi validado um golo ao seu então jogador Clayton.

"A pedido de várias famílias, aqui fica o lance do golo não validado de Clayton no dia 1 de abril de 2000 na Luz, faz amanhã 21 anos", recorda o diretor de Informação e Comunicação dos azuis e brancos.

Em mensagens deixadas nas redes sociais, o responsável portista diz que é para lembrar "os esquecidos".

"Também para ajudar os 'esquecidos' que falam na bola defendida claramente dentro de Vítor Baía, que é duvidosa, mas fingem que este não existiu", comentou Francisco J. Marques.

O diretor de Informação e Comunicação do FC Porto realça que o lance de Clayton no Benfica-FC Porto poderia ter dado, na altura, vantagem aos dragões na partida.

"Este lance aconteceu nos primeiros minutos, o jogo estava 0-0 e o FC Porto viria a ser derrotado por 1-0", lembra Francisco J. Marques, deixando uma questão aos comentadores desportivos a respeito do que se deverá fazer em relação ao lance que agora recorda.

"Em que prateleira os arautos da verdade desportiva põem este lance? Na dos roubos de igreja, ou naquela do vamos ficar caladinhos antes que nos descubram a careca?", questiona Francisco J. Marques.

No começo do milénio, este lance de Clayton também deu muito que falar e gerou discussão a respeito da passagem da bola de forma total, ou não, da linha de baliza antes de o guardião encarnado a ter socado.