Portugal
Rio Ave empata com Boavista em jogo com final polémico
Redação
2021-04-10 18:05:00
Gesto polémico de Miguel Cardoso no momento do golo de Fábio Coentrão

Rio Ave e Boavista empataram hoje 3-3, em jogo da 26.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol com contornos emocionantes e em que o resultado ficou apenas decidido nos descontos, quando os vila-condenses resgataram o empate.

Os 'axadrezados', que estiveram por três vezes em vantagem, construíram o seu resultado com um 'bis' de Yusupha, aos três e 13 minutos, e um autogolo de Ronan, aos 82, enquanto o Rio Ave marcou por Gelson Dala (10), Carlos Mané (70) e Fábio Coentrão (90+3), tendo ainda desperdiçando um penálti, por Pelé, aos 59, num lance que ditou a expulsão do boavisteiro Hamache.

Os contornos emocionantes da partida começaram cedo, com o Boavista, logo aos três minutos, a inaugurar o marcador, num cruzamento de Cannon, que Elis intercetou e assistiu Yusupha, para este encostar fácil para o 1-0, perante a passividade da defesa vila-condense.

Apesar da madrugadora contrariedade, o Rio Ave reagiu bem, articulando rapidamente os seus contra-ataques e resgatando a igualdade logo aos 10 minutos, com Gelson Dala a protagonizar uma recarga certeira a um primeiro remate de Tarantini, que o guardião do Boavista, Leo Jardim, tinha sustido.

O ritmo frenético desta primeira fase da partida seria confirmado pouco depois, com os 'axadrezados' a recolocarem-se na dianteira, através dos mesmos protagonistas: Elis ganhou o duelo a Nélson Monte e cruzou para o desvio de cabeça Yusupha, aos 13 minutos.

Desta vez, o golpe teve mais peso anímico para o Rio Ave, que sentiu dificuldades em reentrar no jogo, perante um adversário confiante e a pisar mais tempo a área contrária, e que ainda antes do intervalo, voltou a estar mais perto do golo, num forte remate de Pérez, mas que saiu um pouco lado.

No regresso do descanso, o desafio recomeçou mais 'morno', embora com os vila-condenses a mostrarem maior embalo ofensivo e o Boavista a explorar as saídas para o contra-ataque.

Já perto da hora de jogo, foi o Rio Ave a dispor de uma soberana chance para recuperar a igualdade, depois de Hamache derrubar Carlos Mané na área boavisteira, numa falta para grande penalidade, que Pelé, na cobrança, desperdiçou, permitindo a defesa de Leo Jardim.

O lance, apesar de não ter feito 'danos' no marcador para os boavisteiros, culminou com a expulsão de Hamache, por acumulação de amarelos, permitindo aos vila-condenses ganharem alguma superioridade territorial.

A equipa de Miguel Cardoso capitalizou o facto de ter mais espaço já aos 70 minutos, com Carlos Mané, assistido por Pedro Amaral, a assinar o 2-2, com um remate cruzado.

Na procura de algo mais no jogo, o técnico do conjunto da foz do Ave lançou Ronan para o ataque, mas o brasileiro acabou por ter uma entrada infeliz, pois desviou para a própria baliza um cabeceamento inicial de Rami, após um livre, oferecendo nova vantagem aos 'axadrezados'.

No entanto, os contornos emocionantes do jogo iriam perdurar até ao final e, já nos descontos, o Rio Ave voltou a recuperar o empate, num remate de Fábio Coentrão, já aos 90+3, que fixou o 3-3 final, mas que precipitou, também, algumas 'escaramuças' entre os bancos de suplentes das duas equipas.

Com este resultado, o Boavista mantém-se acima da zona de despromoção, no 15.º lugar, com 25 pontos, mais três do que o Farense, a primeira equipa em zona de despromoção, enquanto que o Rio Ave segue no 12.º posto, agora com 28 pontos.