Portugal
Rio Ave e Paços de Ferreira 'anulam-se' e estendem série negativa na I Liga
Redação
2021-04-25 19:45:00
Sétimo jogo sem ganhar para a formação de Vila do Conde

Rio Ave e Paços de Ferreira empataram hoje 1-1, em partida da 29.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, em que as duas equipas dividiram a assertividades em cada uma das etapas.

Mais objetivos no primeiro tempo, os pacenses chegaram à vantagem com um golo de Zé Uilton, aos 31 minutos, a que o Rio Ave respondeu já na etapa complementar, com Fábio Coentrão, aos 49, a resgatar a igualdade.

O resultado acaba por ser mais benéfico para o conjunto da foz do Ave, que apesar de somar o sétimo jogo consecutivo sem vencer, acrescentou um importante pecúlio para a sua luta pela manutenção, atingindo a marca dos 30 pontos, que lhe confere o 15.º lugar.

Já o Paços de Ferreira, que quebrou uma série de quatro derrotas consecutivas, mantêm-se no ‘europeu' quinto lugar, somando agora 45 pontos, mais sete do que o perseguidor Vitória de Guimarães, que só fecha a jornada esta segunda-feira.

Com ambos os conjuntos necessitados de inverter a série de que vinham, acabaram por ser os vila-condenses a entrar no desafio com uma postura mais ambiciosa, tentando pressionar o adversário através uma inédita frente de ataque com Fábio Coentrão, Gelson Dala e Gabrielzinho.

No entanto, apesar de bons índices de mobilidade, espelhados numa escapada de Gelson Dala, logo aos dois minutos, que culminou num golo anulado por fora do jogo, os vila-condense sentiam algumas dificuldades no último passe.

A exceção aconteceu numa recuperação de bola de Pedro Amaral, que, depois de superar dois adversários, assistiu Fábio Coentrão, que em posição privilegiada atirou ao lado.

Os ‘castores', apesar de terem dado a iniciativa ao Rio Ave, mostravam-se mais perigosos através de contra-ataques cirúrgicos, com Douglas Tanque a revelar-se como uma ameaça recorrente sempre que ganhava embalo.

Assim aconteceu pouco depois da meia hora, quando o avançado brasileiro, numa rápida investida, ganhou um duelo físico com dois defesas do Rio Ave e serviu na perfeição Zé Uilton, que no frente a frente com o guardião Kieszek atirou colocado para o golo do Paços de Ferreira.

Surpreendido com a eficácia do adversário, o Rio Ave destabilizou-se, e ainda antes do intervalo esteve perto de sofrer o 2-0, num remate do inevitável Douglas Tanque, a que o guardião vila-condense respondeu com uma das defesas da tarde.

Durante o descanso, o técnico do conjunto da foz do Ave, Miguel Cardoso, percebeu que tinha de mexer na equipa para inverter a pouca objetividade e, no reatamento, lançou Francisco Geraldes e Júnior Brandão para ganhar lastro no ataque.

A equipa da casa respondeu positivamente às mexidas, e reentrou com uma dinâmica renovada assumindo as rédeas do jogo e resgatando o empate logo aos 49 minutos, num cabeceamento de raça de Fábio Coentrão, na sequência de um livre.

Desta feita, foi o Paços de Ferreira a acusar a pressão do golo, acabando por perder a clarividência até então demonstrada e a recuar em demasia perante as sucessivas vagas ofensivas do Rio Ave.

Júnior Brandão, com um desvio ao lado, e Gelson Dala, com um remate ao poste que Maracás impediu que resvalasse para baliza, tirando a bola em cima da linha de golo, estiveram perto da reviravolta.

O Paços de Ferreira foi aguentando os ímpetos contrários e só ficou mais confortável no jogo na parte final, quando o vila-condense Ivo Pinto foi expulso por alegados protestos com uma decisão de arbitragem.

Em superioridade, os ‘castores' ainda tentaram surpreender, nomeadamente num cabeceamento de João Pedro, mas numa altura em que os vila-condenses perceberam que a conquista do ponto era mais importante para as suas ambições.