Portugal
"Quem está sentado numa cadeira consegue ver perfeitamente que é penálti"
Redação
2021-04-22 23:15:00
Sérgio Conceição deixa reparos ao VAR e pede que o campeonato "seja decidido dentro das quatro linhas"

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, apontou um lance já nos instantes finais da partida com o Vitória de Guimarães (1-0), para a 28.ª jornada da I Liga, esta noite, para criticar o videoárbitro, alegando que ficou por marcar uma grande penalidade a favor dos dragões.

"Aqueles lances em que deve haver intervenção do VAR não estão a cair para o nosso lado. Estou-me a lembrar deste lance com o Francisco, há um desvio claro com o braço. Acredito que seja difícil para o árbitro, porque é um lance muito rápido, mas quem está sentado numa cadeira consegue ver perfeitamente que é penálti", defendeu o técnico, na entrevista rápida à SportTV.

"Eu estou a dizer isto porque estamos a caminhar para o final e todos os jogos têm o seu peso. É muito importante que todas as equipas estejam bem. No lance do Nanu é livre e depois dentro da área não é penálti. Não sabemos o que se vai passar a seguir, com uma bola na frente no último lance o Vitória poderia empatar, esses pontos são importantes na definição do objetivo, que é ser campeão, que acreditamos ainda ser possível. Volto a referir, é importante que toda a gente esteja bem, sóbria, para esta parte final do campeonato, para que seja decidido dentro das quatro linhas e não mais do que isso", acrescentou.

Já na conferência de imprensa, precisou que ficaram por marcar "três" penáltis a favor dos dragões. "Há no mínimo três lances muito duvidosos... Duvidosos, não, para mim não há dúvida. São penálti", disparou.

Ainda a propósito da arbitragem, quando falava na 'flash', o treinador do FC Porto demonstrou a incompreensão com a disparidade de critérios na gestão do tempo de jogo, depois de uma partida com 'critério largo'. "Se calhar, é informação que passam ou recomendação da APAF, não sei. Às vezes, irrita os jogadores, umas vezes [os árbitros] marcam, outras não. Tem de haver mais critério, não pode ser de um momento para o outro querer deixar jogar e correr. Os árbitros não estão habituados. O tempo útil é um problema grande do nosso futebol", comentou Sérgio Conceição.

Nas últimas quatro jornadas, o FC Porto capitalizou os três empates do Sporting para reduzir a desvantagem pontual a quatro pontos. No entanto, o técnico trocava o 'embalo' dos dragões pela vantagem que os leões ainda possuem sobre o segundo classificado. "Preferia estar à frente, não me importava. Temos de jogar os nosso jogos, ganhar pontos e no final far-se-á as contas. Esta fase do campeonato está difícil, as equipas lutam por objetivos e sinceramente fica mais difícil ganhar jogos. As equipas que lutam pelo campeonato tê, tido dificuldade em ganhar. Temos de nos focar e correr atrás do prejuízo, mas preferia estar à frente", sustentou.

Sobre o mais recente triunfo, esta noite, diante do Vitória de Guimarães, considerou que foi justo, mesmo reconhecendo que o FC Porto não fez uma boa primeira parte. "No início de construção estávamos com muita gente baixa, esticávamos o jogo demasiado cedo, perdíamos os duelos ou as segundas bolas e a equipa estava constantemente em dificuldade para controlar o jogo. Retificámos algumas situações ao intervalo e depois o jogo teve só um sentido. Podíamos ter feito mais golos, criando e estando muito bem nas saídas por fora, a encontrar espaços dentro. A segunda parte foi de acordo com o que tínhamos preparado. Também temos de dar mérito ao Vitória pela organização nos primeiros 45 minutos, mas fomos uns justíssimos vencedores, não com grande espetacularidade, mas a vitória foi justa. Podíamos fazer mais um ou outro golo", finalizou.