Portugal
“Que moral tem o Benfica? Andaram a ser levados ao colo”, diz Fernando Mendes
2020-10-21 16:10:00
Antigo futebolista fala do poder dos “tubarõezitos” FC Porto e Benfica, com o Sporting como vítima num "campeonatozinho"

O Benfica manifestou “perplexidade” pelo lance de fora de jogo na partida diante do Rio Ave, assinalado numa jogada que terminou numa grande penalidade, revertida pelo VAR, em virtude daquela infração.

A imagem da transmissão televisiva não é esclarecedora, mas o VAR invalidou o lance de ataque, apontando uma infração de 42 centímetros.

"Sem colocar em causa a atuação da equipa de arbitragem, a ver um lance de grande penalidade transformado num fora de jogo que, pelo que se pôde ver na transmissão televisiva, causou perplexidade", escreveu o Benfica, na sua newsletter diária.

Fernando Mendes não compreende as queixas do clube da Luz e advoga, com ironia, que o clube da Luz deve continuar nesta estratégia, ainda que não reconheça “moral” ao Benfica para se queixar dos árbitros.

“O Benfica tem tido muitas razões de queixa, nos últimos anos, com os VAR, com os árbitros, com as linhas… Acho muito bem que eles se queixem”, ironizou.

“Que moral é que esta gente tem para andar a falar disto? Por um lance em que está fora de jogo, que resulta num penálti que nem é penálti? Que moral tem o Benfica? Andaram a ser levados ao colo, com penáltis e mais penáltis. Já chega”, começou por dizer, na CMTV.

O antigo defesa considera que os encarnados pretendem, com estas queixas, marcar uma posição e exercer pressões sobre a arbitragem. Fernando Mendes considera que há pressões de FC Porto e do Benfica, com o Sporting “no meio destes tubarõezitos”.

“Se calhar, como o Sporting foi prejudicado pelo FC Porto, com um penálti claríssimo que não foi assinalado… Se calhar o Benfica anda já a alertar. E os outros [Sporting] andam aqui, a lutar neste campeonatozinho, no meio destes dois tubarõezitos [FC Porto e Benfica], disse.

O lance que envolveu Darwin colocou em discussão a fiabilidade das linhas de fora de jogo, em particular pela dificuldade em se determinar o momento em que é feito o passe. Daí que surja uma corrente de defensores de uma margem de erro, para assinalar o fora de jogo.

“A margem de erro dependerá de quem está a fazer as gravações. Se pomos cinco centímetros [de margem de erro], eles arranjam maneira de andar para trás e vamos andar sempre nisto. Eu não desconfio das linhas. Desconfio é dos árbitros e das pessoas que estão no VAR. Eles são maus, não prestam”, afirmou Fernando Mendes.

O antigo jogador, adepto do Sporting, considera que os campeonatos são “sistematicamente” decididos com erros de árbitros, com benefícios para Benfica e FC Porto.

“Já chateia andar a ver, sistematicamente, campeonatos a serem decididos por erros grosseiros de arbitragem. Em Portugal, é recorrente. Todos os anos isto. Isto acontece sempre”, complementou.

Fernando Mendes sugeriu também que o Sporting terá muita dificuldade e que, se mostrar argumentos para lutar pelo título, poderá ser travado por esta disputa de tubarões.

O Benfica, recorde-se, venceu o Rio Ave por 3-0, em Vila do Conde, no domingo, em jogo da quarta jornada da I Liga, que colocou os encarnados isolados na liderança. O jogo teve diversas intervenções do VAR, com dois golos anulados e uma grande penalidade revertida, também pelo videoárbitro.