Portugal
"Quando Varandas abre a boca ou entra mosca ou sai asneira", diz Mascarenhas
2020-12-11 15:15:00
Ex-dirigente diz que Varandas não falou depois do jogo contra o Moreirense

Antigo membro do elenco diretivo do Sporting, Bruno Mascarenhas não percebe como é que Frederico Varandas teve a ousadia de falar à imprensa depois do jogo de Famalicão para, entre alguns lances que poderia ter falado, focou o seu discurso num lance em que "não o podia fazer".

"Naquele seu estilo confrangedor, risível e armado em pequeno burguês, Varandas vem protestar no único lance em que não o podia fazer", refere Bruno Mascarenhas, ilibando a equipa de arbitragem no lance que envolveu Coates no jogo de Famalicão.

Recordando outras declarações de Frederico Varandas, Mascarenhas chega à conclusão de que o atual presidente do Sporting deve pensar bem antes de falar à imprensa.

"Varandas já nos habituou que, quando abre a boca, ou entra mosca ou sai asneira", afirmou Bruno Mascarenhas, certo de que as declarações prestadas por líder do clube obrigaram o departamento de comunicação a atuar.

"A comunicação do Sporting lá teve de vir disfarçar o erro do seu líder, assinalando, e bem, o lance sobre João Mário, esse sim claro e não passível de dúvida", destaca o ex-dirigente do Sporting, depois de "mais uma nódoa e grave" do presidente verde e branco.

O Sporting, recorde-se, empatou com o Famalicão e apontou o dedo ao árbitro da partida, sobretudo pela expulsão de Pedro Gonçalves e pelo golo anulado a Coates, muito perto do fim. O presidente Frederico Varandas repetiu a ideia de que esse golo nunca seria anulado se tivesse sido marcado pelo Benfica ou pelo FC Porto. 

Para o ex-dirigente do Sporting fica claro que Varandas não deveria ainda vir falar uma semana depois do jogo contra o Moreirense no qual os leões marcaram um golo que levantou dúvidas mas foi validado pelo videoárbitro.

"Varandas que nada disse quanto ao golo mal validado e que nos beneficiou contra o Moreirense não pode vir uma semana depois alegar o contrário", critica Bruno Mascarenhas, em artigo de opinião que assina no portal Leonino, deixando ainda uma nota para o facto de em pleno Estado de Emergência ver um militar como é o caso de Varandas a ter autorização para acompanhar o Sporting.

"Só num país e numa democracia do faz de conta (...) Varandas tem dispensa para andar por aí, afastando-se das suas funções e dever para assistir a jogos de futebol", lamentou o antigo diretor do Sporting.