Portugal
Secretário de Estado acredita no regresso do público "nas próximas semanas"
2020-09-21 17:30:00
João Paulo Rebelo não se compromete com datas e fala no trabalho "com as autoridades da saúde" para "criar condições"

João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e Desporto, não sabe quando o futebol poderá voltar a ter público, embora acredite que tal possa ser possível "nas próximas semanas".

Presente na apresentação da Volta a Portugal em bicicleta, o governante foi diretamente questionado sobre a 'incoerência' de não autorizar o regresso dos adeptos aos estádios quando há público noutros espetáculos e iniciativas.

"Quando temos público noutros eventos, queremos ter público no desporto", reagiu.

"Estamos a fazê-lo para acontecer com a maior segurança possível. Sabemos que esta pandemia não vai ficar resolvida nos próximos dias, nos próximos meses, portanto temos de retomar as nossas vidas. Chegaremos naturalmente ao momento em que criaremos condições para poderemos ter público em segurança nos eventos desportivos", afirmou o secretário de Estado do Desporto.

No entender de João Paulo Rebelo, "os artistas dos espetáculos desportivos, que são naturalmente os atletas, merecem evidentemente o seu público, que também faz parte do espetáculo".

O governante garantiu que está a ser feito um trabalho "com as autoridades da saúde" para criar "as condições para que o desporto não fique para trás".

"Espero que possa ser nas próximas semanas. Evidentemente que estamos sempre dependentes da evolução epidemiológica, da evolução deste vírus. Mas queremos criar condições, juntamente com os organizadores, não só do futebol, mas de todas as outras modalidades. No desporto, de uma forma geral, precisamos também de público", reconheceu.

Questionado sobre o regime de exceção nos Açores, que permitiu ao Fontinhas ter público no jogo com o Estrela da Amadora, João Paulo Rebelo explicou que a autonomia regional permite essa diferença para com o território continental.

Quando ao regresso das modalidades, face à crise vivida pelos clubes devido à paragem das competições e ao crescendo de casos positivos em algumas equipas, o secretário de Estado lembrou que há "uma orientação da DGS que as federações desportivas podem usar", as quais sugerem "um conjunto de medidas" preventivas.

"Tenho a certeza que todos os clubes e todas as federações estão a trabalhar de forma a cumprir com essa orientação, mas sobretudo a cumprir com o que é a nossa responsabilidade de termos as mais desejáveis condições sanitárias", realçou.

"É fundamental dizer que sabemos que há um grau de risco em algumas atividades da nossa vida, como ir a um restaurante, a um supermercado, andar em transportes públicos, ir à escola. O que devemos estar focados é reduzir ao máximo esse risco", concluiu o secretário de Estado do Desporto.