Portugal
"Quando surgiram os radares alguns eram multados a 121 quilómetros por hora"
Redação
2021-04-07 13:45:00
"Estar um bocadinho, um bocado ou um bocadão fora de jogo a consequência é a mesma"

O Sporting deixou dois pontos em Moreira de Cónegos e muito se tem falado da arbitragem de João Pinheiro, até porque o duelo ficou marcado por vários casos de análise em relação ao trabalho da equipa chefiada pelo juiz minhoto. O Sporting, pela voz de Miguel Braga, não se debruça tanto nos golos anulados por fora de jogo dos seus jogadores mas, sim, no lance que valeu a lesão de Nuno Mendes, jovem internacional português que saiu lesionado da partida.

"Faz-me mais confusão a entrada sofrida pelo Nuno Mendes, nem amarelo, nem vermelho. Foi um milagre o Nuno Mendes não ter uma lesão gravíssima no joelho e no tornozelo", explicou o porta-voz verde e branco, confessando que consultou o departamento médico leonino e foi essa a indicação que recebeu também por parte do corpo clínico do Sporting, que já adiantou que Nuno Mendes sofreu uma contusão na perna direita, tendo sido substituído à passagem do minuto 38, entrando para o seu lugar Matheus Reis.

Em relação aos golos anulados ao Sporting, com indicação de posição irregular, Miguel Braga disse na Sporting TV que o Sporting se coloca do lado do VAR mas sempre vai dizendo que, em Alvalade, se espera que o critério seja igual para todos os emblemas. "Chegaremos a um VAR mais perfeito do que aquele que existe atualmente. Quando surgiram os radares alguns condutores eram multados a 121 quilómetros por hora nas autoestradas e depois estabeleceu-se uma margem de erro. Se não nos queixámos quando um dos nossos rivais teve um golo anulado por três centímetros, não nos parece correto que agora se faça uma tempestade a este ponto. Se o critério for igual para todas as equipas..."

A este respeito, Miguel Braga salientou ainda que estar em posição irregular de um centímetro ou dez a consequência será sempre a mesma. Daí que não dramatize com os golos anulados. "Estar um bocadinho, um bocado ou um bocadão fora de jogo a consequência é a mesma. Não interessa se estava um centímetro, dez ou um metro é marcado. Temos de trabalhar para ter critérios claros e ter a possibilidade de ouvir as comunicações."

Em todo o caso, o responsável pela Comunicação do Sporting deixou claro que seria importante ter acesso às comunicação entre o árbitro e o videoárbitro para que algumas decisões fossem entendidas por parte dos adeptos e responsáveis dos clubes. "O VAR não é suposto substituir o árbitro", indicou também Miguel Braga que aproveitou para deixar uma mensagem de confiança aos adeptos leoninos que ficaram desconfiados após este empate que permitiu uma aproximação dos rivais na frente.

"Continuamos na frente e temos oito pontos sobre o segundo classificado e somos a única equipa sem derrotas após 25 jornadas do campeonato. O Sporting continua à frente e invicto. É importante manter o espírito do jogo a jogo. Estamos cada vez mais próximos de garantir o acesso direto à Liga dos Campeões".