Portugal
Processos disciplinares para Pinto da Costa e diretor de Comunicação do SC Braga
Redação
2021-03-26 15:15:00
Conselho de Disciplina vai averiguar declarações destes responsáveis em relação às arbitragens

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) revelou que foram instaurados processos disciplinares ao presidente do FC Porto Pinto da Costa, também ao diretor de Comunicação do SC Braga, Alexandre Carvalho, e ainda a jogadores do Paços de Ferreira.

Em relação a Pinto da Costa, o CD faz saber que o processo movido surge "na sequência de participação disciplinar apresentada pela Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, tendo por objeto declarações proferidas sob o enfoque das ofensas à honra ou consideração de agentes de arbitragem".

"O processo foi enviado, dia 25 de março de 2021, à Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, ficando excluída a publicidade até ao fim da instrução", pode ler-se no comunicado do Conselho de Disciplina.

Também por críticas às arbitragens é movido um processo ao responsável bracarense, Alexandre Carvalho. O CD da FPF indica que na base estão "declarações proferidas sob o enfoque das ofensas à honra ou consideração de agentes da arbitragem."

Ainda no decorrer do último jogo dos bracarenses frente ao Benfica, o diretor de Comunicação do SC Braga criticou o árbitro João Pinheiro, pela expulsão de Fransérgio, ainda na primeira parte do jogo. Aquele responsável falou em “brincadeira” e “vergonha”.

“Sem brincadeiras: um trabalho irrepreensível de João Pinheiro na primeira parte. Não foi por um lado, vai pelo outro. A isto chama-se competência no escrupuloso cumprimento da missão”, escreveu Alexandre Carvalho, que durante a semana prosseguiu com mais reparos feitos ao trabalho das equipas de arbitragem.

Já os jogadores do Paços de Ferreira enfrentam um inquérito depois de terem sido apanhados pelas autoridades a furarem o confinamento.

Por isso, o Conselho de Disciplina decidiu pela "instauração de processo disciplinar a João Pedro Sousa Silva e David Senna Fernandes Sualehe, por deliberação da Secção Profissional, de 23 de março de 2021, tendo por objeto eventual violação do compromisso assumido por todos os atletas e equipas técnicas pelo cumprimento das medidas de prevenção e controlo da infeção por SARS-CoV-2, previsto no Regulamento covid-19 para a retoma da prática competitiva de futebol, futsal e futebol de praia".

O organismo federativo revela ainda que a "instauração de processo de inquérito" surge "por deliberação da Secção Profissional, de 23 de março de 2021, para apuramento da factualidade alegadamente ocorrida por ocasião de jogo da Liga NOS, mencionada em publicações nas redes sociais e newsletter oficial, referidas nos meios de comunicação social."