Portugal
Primeiro jogo da história da seleção portuguesa realizou-se há 100 anos
2021-12-17 21:05:00
Embate realizado no Estádio Martínez Campos, casa do Atlético Madrid entre 1913 e 1923

Espanha venceu Portugal por 3-1, há 100 anos, no primeiro jogo da história da seleção portuguesa de futebol, que, segundo a imprensa espanhola da época, foi de uma “tremenda inferioridade”.

“A nossa equipa não podia ter jogado pior”, assegurava na página 20 da sua edição de 20 de dezembro de 1921 o diário ABC, sobre o primeiro jogo internacional da equipa das ‘quinas’, realizado em 18 de dezembro de 1921, no estádio Martínez Campos, um estádio que foi utilizado pelo Atlético Madrid, entre 1913 e 1923.

Este jornal generalista concluiu que a seleção espanhola ganhou “pela razão que já se sabia: porque a equipa portuguesa foi de uma tremenda inferioridade”.

Mesmo assim, o jornalista que seguiu o encontro concluiu que, se os portugueses tivessem jogado como nos “últimos minutos” do encontro, o resultado “podia ter sido diferente”.

“Poucos momentos antes de terminar o jogo, os portugueses cresceram e atacaram com brio”, descreveu o jornalista.

No mesmo dia, revista especializada Futbol também considerou que, apesar da “disparatada atuação do comité de seleções”, a equipa espanhola conseguiu vencer o jogo contra os portugueses.

Em causa estava, de acordo com a mesma publicação, a convocatória feita em função de “amizades e simpatias”, acusando o órgão federativo de estar a “trabalhar para as futuras eleições”.

“E sem mais nada de particular para se dizer e no meio de grande desânimo e aborrecimento terminou um jogo que de nome foi internacional e na realidade muito ordinário, nada mais”, lia-se na Futbol, que descreveu “os lusitanos”, que jogaram “com camisola preta e calções brancos”, como “rapazes fortes, mas de estatura baixa”.

Na mesma edição, a revista publicou uma entrevista a Cândido de Oliveira, que anunciou o fim da carreira, após capitanear a seleção portuguesa.

“Quando chegar a Portugal vou retirar-me, estou cansado e já sou demasiado velho para estas coisas. Queria que este fosse o meu último jogo, mas os meus companheiros querem que faça o último jogo com eles [em Portugal]”, afirmou Cândido de Oliveira, então com 25 anos.

O capitão luso assegurou que a seleção portuguesa “não veio completa” e “podia ter feito muito melhor”, tendo-se deslocado a Madrid “com o desagrado dos aficionados e dos clubes”.

“Tivemos azar, jogar contra Espanha, a melhor do mundo e ser o nosso primeiro jogo internacional”, afirmou o antigo jogador, treinador e jornalista, que, mesmo assim, assegurou que a equipa estava “muito satisfeita” com o resultado, que é o “que devia ser”.

Alberto Augusto reduziu a desvantagem para a equipa das ‘quinas’, aos 75 minutos, depois de Manuel Meana, aos seis, e Paulino Alcántara, aos 10 e 66, terem marcado para a seleção espanhola.

“Claro que podíamos ter metido mais golos, mas vocês [Espanha] também”, admitiu Cândido de Oliveira.

Outros jornais publicaram artigos sobre o jogo, sempre em páginas interiores, numa altura em que o futebol não cativava o interesse generalizado.

O El Debate, de 19 de dezembro de 1921, considerou ter sido um “interessante encontro”, sendo Espanha “uma das primeiras nações futebolísticas” e tido uma “brilhante resistência dos portugueses”.

No artigo, o jornalista explica que “os dois capitães trocaram ramos de flores com as cintas nacionais respetivas” antes do início do encontro, tendo sido “a primeira vez que os portugueses atuaram nesta classe de encontros e forçosamente tiveram de pagar a sua falta de experiência”.

“Uma equipa fraca por falta de treino, vendo-se no seu estilo a falta de uma cabeça diretora”, concluiu o jornal.

Já a publicação regional de Santa Cruz de Tenerife, nas Ilhas Canárias, La Prensa classificou, em 20 de dezembro de 1921, o encontro entre Espanha e Portugal como sendo um “interessante jogo de futebol internacional”, que foi visto por 10.000 espetadores e no qual estiveram presentes “o embaixador de Portugal em Madrid e outras altas personalidades”.

“Triunfaram os espanhóis por três golos contra um, tendo-se dado gritos por Portugal e Espanha no final do espetáculo”, escreveu o jornal, que ainda informou que na noite do dia seguinte ao jogo “celebrou-se um banquete em honra dos portugueses, reinando uma grande cordialidade e entusiasmo”.