Portugal
“Pouco faltou para ser outro caso Marco Ficcini”, reage Torcida Verde
Redação
2021-05-03 22:55:00
Luiz Carlos recusa "alimentar o discurso de ódio" na sequência dos incidentes de hoje em Alvalade

O líder da claque do Sporting Torcida Verde, Luiz Carlos, comentou as agressões hoje ocorridas em Alvalade, comparando o caso ao incidente que vitimou Marco Ficcini, atropelado nas imediações do Estádio da Luz em 2017.

“Não sabemos se eram adeptos do Benfica ou de qualquer clube. Eram 12 elementos de burka que nos atacaram, dois carros e uma mota. Pouco faltou para ser outro caso Marco Ficcini”, afirmou o responsável da Torcida Verde.

De acordo com as primeiras informações, os atacantes foram associados aos Diabos Vermelhos, claque do Benfica. O clube da Luz já reagiu, repudiando qualquer ato de violência e distanciando-se dos autores do incidente de hoje.

“Não vamos alimentar o discurso de ódio”, acrescentou Luiz Carlos: “A questão de fundo é o discurso de ódio que tem sido alimentado pelos programas televisivos, com comentadores avençados, e outros dirigentes. Hoje houve heróis de burka em Alvalade”.

Em comunicado, o Sporting repudiou os “atos de violência” ocorridos hoje, referindo que os mesmos foram “desencadeados por adeptos do clube rival”, reforçando essa associação aos Diabos Vermelhos, não confirmada pelas autoridades.

Fonte oficial da PSP confirmou à agência Lusa a existência de um “incidente” junto ao Estádio José Alvalade, em Lisboa, mas não adiantou mais informações, referindo que o caso está a ser investigado pelas autoridades.

De acordo com o jornal Record, os incidentes ocorreram à porta da sede da claque, quando alguns elementos preparavam uma coreografia de homenagem aos adeptos que morreram de covid-19. Houve agressões físicas e tentativa de atropelamento, com os elementos da Torcida Verde a reagirem com pedras. Ainda segundo o mesmo jornal, foram os danos provocados a um dos utilizados no incidente que levaram a PSP a identificar e apreender essa viatura.