Portugal
“Pinto da Costa nunca me permitiu que o FC Porto indicasse nomes para programas”
2020-07-29 09:55:00
Francisco J. Marques diz que foi “convidado” a colocar comentadores, mas que o presidente o impediu

O diretor de Comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques, comentou nesta terça-feira, no Porto Canal, a decisão da SIC (que também deve ser tomada pela TVI) de acabar com programas de adeptos, por considerar que este formato fomenta um ambiente de “toxicidade”.

“A SIC tem toda a legitimidade para tomar as decisões que muito bem entende e ninguém tem nada com isso. Nós só passamos a ter a partir do momento em que a SIC diz que a razão foi a ‘toxicidade’ que os próprios clubes induziram nestes programas. E a posição do FC Porto ficou hoje [ontem] vertida na Dragões Diário, a nossa newsletter”, enquadrou o responsável.

Francisco J. Marques cita essa posição e aponta “pecados originais cometidos pela SIC”, falando em “cumplicidade” e “o cheque em branco passado ao comentador Rui Santos”, que participa nos programas 'Play-Off' e 'Tempo Extra'.

“Pretensamente apresentado como isento, toma posições antiFutebol Clube do Porto, anticivilização, como nós vimos aqueles comentários racistas, que motivaram o comunicado da SOS Racismo, naquele triste episódio relativo ao jogador Dyego Sousa, quando disse que não era ‘bacteriologicamente puro’, ou nos comentários sobre o caso-Marega, nos incidentes em Guimarães”, prossegue.

O diretor de Comunicação do FC Porto não compreende a argumentação da estação televisiva: “Não nos podemos calar quando a SIC diz que há um ambiente de toxicidade provocado pelos três clubes, sendo um deles o FC Porto".

"A SIC sabe muito bem que o FC Porto nunca indicou ninguém - e não corremos o risco de a SIC nos vir desmentir. Agora, a SIC não sabe tão bem que nunca o fizemos com qualquer canal de televisivo. Eu, na minha qualidade de diretor de Comunicação, fui convidado a indicar nomes e nunca o fiz, por ordem expressa de Pinto da Costa, que nunca me permitiu que o FC Porto indicasse nomes para programas. Nunca me permitiu, sempre me disse que o FC Porto não tinha nada com essas coisas, em todos os canais televisivos”, conta Francisco J. Marques.

Apontando nomes de diversos jornalistas que, na sua opinião, estão nas televisões ao serviço do Benfica, o responsável lembra que foi no Porto Canal que se denunciou essa estratégia de comunicação.

“Se neste país existe a palavra ‘cartilheiro’ para definir alguém que está ao serviço de uma entidade, essa palavra foi pela primeira vez produzida neste programa. E foi neste programa que se fez a denúncia de quem fazia distribuição de recados, de quem manietava os seus representantes nos diferentes canais. E quem o fazia era o Benfica, com a célebre distribuição de cartilhas”, acusa.

“Foi também o Porto Canal que fez a denúncia de que havia jornalistas avençados pelo Benfica. E revelámos os nomes. Alguns disseram que iriam meter ações em tribunal. Mas… zero. Comeram e calaram”, continua.

Relativamente à TVI, que também deverá acabar com este formato de programas, Francisco J. Marques pergunta se “também não vai acabar com a disseminação das fake news de Rui Pedro Braz, que até tem contratos com o Benfica?”.

“Não vão acabar com isso? Isso não é toxicidade? Isso é informação série e verdadeira? Vejam a quantidade de nomes de transferências que eles inventam. Relativamente ao FC Porto, até faço a revelação que nós estamos a fazer a contabilidade… Numa semana, já ultrapassaram os 50 nomes, desde que fomos campeões. E é tudo mentira. É tudo mentira. Não têm informação nenhuma e inventam. Mas nós vamos fazer esse exercício sobre as transferências. Vamos deixá-los continuar a fazer esta triste figura. E depois vêm falar em toxicidade”, acusa.

A terminar, Francisco J. Marques deixa uma palavra aos comentadores da SIC que representam o clube da Invicta. “Rodolfo Reis e Paulo Baldaia merecem um cumprimento da nossa parte, porque sempre defenderam muito bem o FC Porto, nas condições em que o fizeram: sem Espírito santo de orelha da nossa parte”, conclui.

A SIC, recorde-se, decidiu descontinuar os programas de desporto que assentam em comentadores que representam Benfica, FC Porto e Sporting. O diretor de informação da Impresa, Ricardo Costa, confirmou que os dois programas da grelha da SIC Notícias, 'Play Off' e 'Dia Seguinte', terminam "na próxima semana".

"Vamos ter um modelo diferente à segunda-feira e outro ao domingo, ainda estamos a reorganizar as grelhas", disse Ricardo Costa, quando questionado sobre que tipo de programas vão substituir o 'Play Off' e o 'Dia Seguinte'.

"A pandemia podia ter ajudado a que os agentes do futebol percebessem bem a situação em que o futebol, como toda a sociedade se encontra, mas infelizmente não foi isso que aconteceu. Ou seja, o futebol voltou ainda pior do que estava antes em termos de guerra entre os clubes", salientou Ricardo Costa.