Portugal
“Pezinhos no chão e foco no trabalho”, avisa Paulo Sérgio, após goleada
Redação
2021-04-03 12:10:00
Portimonense conseguiu o mais folgado triunfo da época, mas o técnico não se ilude 

Num jogo importante na luta pela manutenção, com equipas extremamente próximas na tabela classificativa, o Portimonense conseguiu vencer, convencendo, goleando, no reduto de um adversário direto. O 5-1 final diz tudo sobre um jogo onde os algarvios mostraram os seus melhores atributos, perante um Nacional cheio de lacunas que o técnico Manuel Machado, que assumiu as rédeas dos insulares, promete resolver já na próxima jornada. 

Paulo Sérgio, treinador do Portimonense, reconhece que o resultado é positivo, elogia os seus jogadores, mas lança um alerta: “Foi um resultado muito bom para nós, mas são apenas três pontos. Quem me conhece sabe que não é por termos feito este resultado fantástico que algo vai alterar. Temos agora cinco pontos para o Nacional, que não é nada para aquilo que falta de campeonato. Portanto, pezinhos no chão e foco no trabalho”. 

Terá sido este o melhor jogo da temporada? Paulo Sérgio hesita. “É difícil dizer que foi o melhor jogo da época, comparando tantos jogos até agora, mas talvez”, responde, lembrando outros “bons jogos” em que o Portimonense “não somou qualquer ponto ou empatou. 

Na abertura da jornada 25, Paulo Sérgio reconhece, no entanto, que os seus jogadores estiveram em grande plano. “Foi um belíssimo jogo da minha equipa. Acho que o termos marcado cedo, ajudou que alguns jogadores se soltassem e colocassem em prática aquilo que acreditamos serem as suas qualidades”, resume. 

 As palavras “respeito” e “trabalho” repetem-se no discurso do técnico. “Temos de mostrar respeito pelo nosso adversário, que teve um resultado pesado, mas que nós reconhecemos qualidade, quer aos técnicos, quer aos jogadores que representam o Nacional. Muito respeito por eles. Não vamos agora encher o peito, porque quem faz isso, normalmente depois dá-se mal. Temos de seguir trabalhando”, refere Paulo Sérgio.  

As contas do jogo estão fechadas e o Portimonense saiu a ganhar, mas as contas da manutenção estão longe do fim: “Não foi de forma alguma um passo decisivo para assegurar a manutenção. Foram três pontos muito importantes, como é óbvio e não vamos escamotear isso, mas falta-nos somar muitos mais para podermos estar tranquilos. 

O técnico do Portimonense deixou ainda uma palavra para Luquinha, um jovem promovido dos sub-23 que tem muita qualidade e que, segundo o treinador, vai ter oportunidades de o mostrar, sempre que a estratégia dos algarvios o permitir. 

Luquinha consegue dar coisas diferentes a esta equipa. Conhecemos bem o menino que está ali. Tirámo-lo dos sub-23 há pouco tempo. Acredito que é um miúdo com um futuro brilhante. Tem coisas do Deco e tem coisas do Otávio, passe a comparação. Lembro-me que quando o Deco chegou a Alverca tinha este tipo de características. Tem muito trabalho pela frente, mas tem um talento acima da média. Há jogos que são melhores para eles do que outros, mas ele não tem de jogar os jogos todos. Tem de jogar os jogos que eu acho que são bons para ele. Mas tem um futuro brilhante, com coisas boas”, concluiu. 

O Portimonense venceu o Nacional por 5-1, na Madeira, com Luquinha a marcar o segundo golo. Beto abriu o ativo, aos 33 minutos, e o jovem elogiado por Paulo Sérgio elevou a contagem, definindo o resultado ao intervalo.

Na segunda parte, os insulares viram o resultado avolumar-se. Beto bisou, aos 54 minutos, Fali Candé apontou o 4-0 aos 62 minutos e o melhor que os anfitriões fizeram saiu dos pés de Bryan Róchez, aos 68. Já em período de compensação, Fabrício fez o 5-1 final.