Portugal
“Pepe, no aspeto disciplinar, não é exemplo, não tem moral”, acusa Octávio
Redação
2021-04-19 18:30:00
Palavras do capitão do FC Porto sobre Jorge Jesus merecem críticas de Octávio Machado, que também fala em “moral” 

Octávio Machado critica Pepe pelo comentário que fez à declaração de Jorge Jesus, na qual o treinador do Benfica acusou Eustáquio, médio do Paços de Ferreira, de tentar magoar Weigl, no lance que terminou com expulsão do jogador pacense.  

Jesus acusou Eustáquio de tentar magoar propositadamente o médio alemão, sendo que, mais tarde, o técnico do Benfica recuou e reformulou a ideia. Mesmo assim, Pepe não gostou do que ouviu.  

“Ouvir um treinador falar daquela maneira deixou-me envergonhado. "É triste. Sabemos que isso vem do Sul, vem de baixo, vem de onde vem, sabemos disso e visa condicionar um árbitro, todo o trabalho de uma equipa de arbitragem", disparou o central.  

Jesus reagiu, na conferência de imprensa de antevisão do jogo com o Gil Vicente, e aludiu à jogada que envolveu o defesa portista, quando este representava o Real Madrid. “Comentar aquilo que o Pepe disse sobre uma jogada destas? Grande moral”, disse o técnico. 

Octávio Machado foi convidado a analisar esta troca de palavras, na CMTV, e foi duro para com o capitão do FC Porto. “Pepe, no aspeto disciplinar, não é exemplo e isso retira-lhe qualquer aspeto moral para poder fazer as declarações que fez”, referiu o comentador, que também dedicou uma palavra a Eustáquio e ao treinador do Paços de Ferreira. 

Um abraço enorme ao Eustáquio e ao Pepa”, referiu aindaelogiando a postura de ambos (veja aqui a declaração de Eustáquio), depois do encontro com o Benfica e também após as palavras de Jorge Jesus 

Nas respetivas intervenções públicas, quer o técnico pacense, quer o médio expulso frente ao Benfica evitaram alimentar polémicas, ainda que tivessem discordado do treinador encarnado. Octávio saúda-os. “São os dois visados neste assunto, mas tiveram comportamentos sérios, honestos”, enaltece. 

Quando ao defesa do FC Porto, deveria ter-se remetido ao silêncio, segundo Octávio. “O Pepe merece-me todo o respeito, é um profissional que eu sempre admirei, dá tudo em campo, bate-se pelo que acredita, a longevidade que está a conseguir é enorme e, por isso, merece-nos toda a admiração. Mas Pepe, no aspeto disciplinar, não é exemplo, não tem moral”, considerou Octávio. 

Refira-se ainda que Sérgio Conceição também entrou nesta troca de argumentos, recorrendo à mesma palavra: “moral”, numa mensagem implícita de defesa do seu jogador. 

"Teve uma expressão curiosa que me deixou extremamente feliz. Disse que gostaria de ter sido treinado por mim quando estava no auge da sua carreira. Agradeço ao Pepe. Dizer o que disse de mim, quando falo de mim falo da minha equipa técnica, que grande moral”, afirmou.