Portugal
“Pepe ainda faria muita falta ao Real Madrid”, defende Pedro Henriques
Redação
2021-03-15 14:55:00
Antigo defesa do Benfica rendido às prestações do central do FC Porto

Pepe tem sido uma das principais figuras da equipa do FC Porto e assumiu, nos últimos dois jogos, o estatuto de decisivo, a par do médio Sérgio Oliveira. Diante da Juventus, o defesa-central brilhou e colocou o mundo do futebol a seus pés, num jogo em que Sérgio Oliveira apontou dois golos. Já diante do Paços de Ferreira, que os dragões venceram por 2-0, Pepe conseguiu abrir os caminhos da vitória, com o médio a definir o resultado final.  

O que impressiona, no caso do defesa, é o elevado rendimento aos 38 anos. Pedro Henriques, antigo defesa do Benfica, faz uma vénia ao jogador portista. Num comentário ao jogo de ontem, na SportTV, defendeu que Pepe é (ainda é) um dos melhores. 

Pepe ainda faria muita falta ao Real Madrid. Continua a ser dos melhores centrais da Europa. E quando digo Europa, para mim, é do mundo, porque os melhores centrais do mundo estão na Europa. Pepe é um dos melhores. Tem 38 anos, mas continua a ser um central rápido, é decisivo, sempre muito concentrado, erra pouquíssimo e é isso que faz os defesas-centrais de grande qualidade”, elogia Henriques, num comentário ao triunfo dos campeões nacionais. 

E Pedro Henriques recorda os tempos de Pepe no Real, numa altura em que se olhava mais para o ataque, com Ronaldo na frente, do que para a defesa. “Pepe tem uma enorme capacidade de trabalho, há muitos anos. É muito competitivo, além de que tem uma mentalidade forte. Já no Real Madrid era o ‘Cristiano e os outros’, mas lembro que o Pepe fez parte dessa grande equipa”, recorda 

“Ele constrói bem e tem sempre alto rendimento. O rendimento do Pepe, hoje, é o mesmo que ele apresenta quando tinha 30 anos. Estou convencido de que vai continuar, o que, além de ser importante para o FC Porto, é bom para a seleção nacional”, complementa. 

A longevidade da carreira deve-se, segundo Pedro Henriques, deve-se sobretudo à ausência de lesões: “A realidade é que o Pepe nunca teve muitas lesões graves e isso é muito bom para a longevidade de um jogador, permitindo-lhes andar sempre nos limites 

Pedro Henriques defende que a linha de laterais do FC Porto, com Manafá e Zaidu como primeiras escolhas, “não tem o pedigree” que tinha há alguns anos, quando o plantel portista contava com o lateral-direito Danilo, ou os defesas-esquerdos Alex Sandro e Alex Telles. Daí que um jogador como Pepe se torne “importantíssimo”. 

“É assim que fazem as grandes equipas e o FC Porto, apesar de mais fraco nas competições nacionais, está muito forte na Liga dos Campeões. Pepe não precisa de mais elogios. A carreira do Pepe fala por ele”, conclui. 

Depois do jogo de ontem, na flash-interview, Pepe comentou este momento de forma, ou esta forma de estar no futebol: sempre no limite. Qual o segredo da longevidade? 

“Trabalho, muita paixão, eu amo aquilo que faço. O clube dá-me todas as ferramentas para trabalhar em alto nível. Depois de quase três meses a jogar de três em três dias, vamos poder preparar os jogos da melhor forma”, realçou o defesa, aos microfones daquela estação televisiva.