Portugal
Paulinho salva um SC Braga que gosta de se autoflagelar para sorrir no final
2017-08-24 22:25:00
Bracarenses deixaram o FH Hafnarfjordur chegar ao empate na eliminatória e tiveram de sofrer pela qualificação

O SC Braga garantiu esta quinta-feira novo triunfo frente ao FH Hafnarfjordur, desta vez por 3-2, garantindo a qualificação para a fase de grupos da Liga Europa. Mas o apuramento minhoto foi muito mais sofrido do que possa indicar o marcador final da eliminatória (5-3). Os pupilos de Abel Ferreira entraram a dormir em ambas as partes e rapidamente foram castigados por um conjunto islandês que teve o mérito de conseguir empatar a eliminatória e de adiar o desfecho da mesma até aos minutos finais do encontro.

Com um estilo de jogo apoiado, ao primeiro toque, e com a bola sempre junto ao relvado, contrariando a ideia pré-concebida de que os nórdicos são “toscos” e jogam sempre de forma direta, o FH rapidamente mostrou que queria sonhar com um resultado positivo, mesmo depois da derrota caseira por 2-1. O SC Braga não levou o aviso a sério, perdeu a luta a meio-campo e prolongou a entrada adormecida, até ser castigado pela primeira vez, depois de o lateral esquerdo Bodvarsson inaugurar o marcador, aos 16 minutos.

O golo islandês teve o condão de fazer despertar os minhotos e não foram precisos muitos minutos para perceber que bastava acelerar o encontro para colocar a defesa adversária em dificuldades, que contava com o guardião Nielsen a fazer de líbero para ir resolvendo alguns problemas de jogar com a linha algo subida. No entanto, o guardião do FH nada conseguiu fazer para travar um verdadeiro fuzilamento de Paulinho, aos 39 minutos, após assistência de Stoiljkovic pela esquerda – o lado mais explorado pelos arsenalistas, quase sempre pelo “condutor” Xadas.

Na segunda metade o SC Braga repetiu a entrada amorfa, expectante e letárgica. E os islandeses, que chegaram ao intervalo com mais posse de bola, voltaram a punir a equipa de Abel, aos 51 minutos. Novamente por intermédio de Bodvarsson. Mais uma vez na sequência de uma bola parada. Uma espécie de autoflagelação para os minhotos, tal como se veio a confirmar de seguida, com a resposta pronta que conseguiram dar.

Teve de ser o irrequieto, lutador e trabalhador Paulinho – resumindo, o homem do jogo! – a desempatar a eliminatória, aos 80’, em mais uma excelente movimentação na grande área adversária, finalizada de primeira e de pé esquerdo. O avançado português contratado esta temporada ao Gil Vicente quebrou o gelo em Braga, numa partida em que os minhotos apenas se podem queixar de si próprios pelo que tiveram de sofrer até final, pois nos momentos em que decidiram acelerar colocaram a nu as diferenças evidentes entre as equipas.

Tal como na eliminatória anterior, frente aos suecos do AIK, o sofrimento foi mesmo até final. Mais concretamente até ao terceiro minuto de compensação, quando um balão de Paulinho acabou por proporcionar o primeiro erro da partida ao guardião Nielsen e a estreia a marcar de Dyego Souza pelo SC Braga. A partida ficou sentenciada e a equipa portuguesa, após ter visto a qualificação tremida, sem necessidade, pôde, finalmente, sorrir.