Portugal
“Parece que se está à espera que o Sporting ceda”, diz Carlos Brito
Redação
2021-01-27 17:50:00
Experiente treinador refere que o Benfica "está a demorar a acertar"

O Sporting vai apresentar-se no dérbi com o Benfica, para a 16.ª jornada da I Liga, com uma vantagem de seis pontos sobre o rival, após o triunfo no Bessa e o empate das águias em casa com o Nacional.

Sem esquecer o FC Porto, segundo classificado, com quatro pontos de atraso, os leões podem chegar na segunda-feira aos nove pontos de distância para o Benfica. “Uma vantagem enorme”, realçou Carlos Brito.

Numa análise à partida do Sporting com o Boavista, o experiente técnico, que soma mais de 400 jogos no principal escalão, lamentou que haja quem procure “desvalorizar esta vitória”, lembrando a caminhada firme dos leões no campeonato.

“Por vezes parece que se está à espera que o Sporting ceda, mas excetuando o empate em casa com o Rio Ave tem-se mantido”, salientou.

A partida no Bessa ficou marcada pelo cartão amarelo exibido a João Palhinha, lançado no decorrer da segunda parte, que afasta o médio do jogo com o Benfica. O cartão está a ser contestado pelo Sporting, que vai pedir a despenalização.

Num comentário na SportTV, Carlos Brito considerou que Rúben Amorim fez “uma gestão bem feita”, depois do treinador do Sporting ter explicado que Palhinha começava a acusar desgaste e recusado a ideia de ‘poupança’ a pensar no Benfica.

“Não me parece que tenha sido pelo facto do Palhinha estar ‘à bica’, por não poder jogar com o Benfica. Acredito no que Rúben Amorim diz. Não creio que fosse abdicar [de Palhinha] num jogo complicado, o Boavista é uma equipa extremamente competitiva mesmo estando em último. Poderá haver algum cansaço, embora não tenha dúvida que Palhinha, se jogasse de início, iria atuar com a vontade de sempre”, explicou o técnico que, entre outros clubes, conta com uma passagem pelo Boavista, na temporada de 2005/06.

Sem comentar a ‘justiça’ do cartão amarelo exibido a Palhinha, Carlos Brito realçou que o médio “é de extrema importancia na forma de jogar de Rúben Amorim”.

Pela frente, na segunda-feira, o Sporting vai ter um Benfica que “está a demorar a acertar”. “Mesmo nas vitórias não tem sido um Benfica bom na maioria do jogo, tem permitido que os adversários equilibrem o jogo e até que estejam por cima”, realçou o técnico.

Carlos Brito considerou que na Luz há “uma grande intranquilidade” e admitiu que o surto de covid-19 tem “a sua influência”, mas afirmou que já “há cerca de um mês e tal” que Jorge Jesus tem demonstrado “dificuldade em encontrar uma equipa-tipo”.

“Não é de todo aquele Benfica das primeiras jornadas”, afirmou o treinador, considerando que uma derrota em Alvalade “pode ser decisiva”, pois “tem o FC Porto ali e o SC Braga está a ser muito competitivo e eficaz”.

“Friso que também pode ganhar e tudo se transformará para melhor, vai tornar o campeonato mais equilibrado”, acrescentou

Já o FC Porto fez “um dos melhores jogos fora” diante do Farense, outra equipa “difícil” que “não tem os pontos que deveria”.

“O Farense por vezes exagera, parece que quer jogar a 100 a hora e isso retira-lhe discernimento, mas o FC Porto estava muito bem preparado. Só um FC Porto muito competitivo é que poderia vencer aquele jogo”, concluiu Carlos Brito.