Portugal
"Papel de Rui Costa muitas vezes é desvalorizado e Pizzi maltratado"
Redação
2021-03-03 13:35:00
"Aquele abraço não foi só um abraço", defende ex-jogador encarnado Diogo Luís

Pizzi está há várias épocas no Benfica e faz parte do lote de capitães mas o seu rendimento tem sido, não raras vezes, motivo de crítica e dúvida entre os adeptos, acabando por ter períodos em que chega mesmo a perder a titularidade.

No último embate, Pizzi começou no banco, entrou no segundo tempo e ajudou o Benfica a levar de vencida o Rio Ave, acabando por festejar de forma efusiva e abraçando-se a Rui Costa, antigo camisola 10 da Luz e atual vice-presidente.

Para Diogo Luís, ex-jogador do Benfica, o transmontano e o 'maestro', merecem outro tipo de reconhecimento por parte dos adeptos benfiquistas.

Desde logo, em relação ao camisola 21, Diogo Luís diz que tem sido um jogador incompreendido na Luz. "Pizzi é um dos jogadores mais maltratados em Portugal. A qualidade dele tem sido sempre eviedenciada ao longos dos anos, tem sido sempre um dos melhores, se não é o melhor. Mas nunca lhe dão esse valor".

O antigo futebolista das águias diz que não sabe se o grito de Pizzi foi "uma mensagem para alguém" e prefere destacar o abraço que deu ao vice-presidente Rui Costa.

"É alguém que está a tentar passar carinho e mensagens positivas aos jogadores e os jogadores reconhecem isso. Aquele abraço não foi só um abraço, um cumprimento", analisou Diogo Luís.

"Eles estiveram a conversar alguns momentos e parece-me que o Rui Costa teve um papel ou está a ter e que muitas vezes é desvalorizado pela maior parte da comunicação social e pelos adeptos", indicou Diogo Luís, na Renascença.

Diante dos vilacondenses, o Benfica melhorou com a entrada de Pizzi para o meio-campo e com a saída de Taarabt. Pizzi marcou o segundo golo e surgiu nas imediações da área por diversas vezes, algo que o marroquino raramente faz e, por isso, António Carraça, ex-diretor de futebol do Benfica, disse que não percebe como é que a aposta é em Taarabt e não em Pizzi.

"Para mim, Taarabt é um peso morto na equipa do Benfica. E isso ficou evidente no jogo com o Rio Ave. Com a entrada do Pizzi, que fez um golo, teve mais duas ocasiões para marcar. Pizzi tem critério, define bem. Pizzi tem de ser titularíssimo absoluto nesta equipa do Benfica”, disse António Carraça.