Portugal
Os 23 de João Pedro Cordeiro
Mauro
2018-05-14 19:00:00

Os meus 23:
Guarda-redes: Rui Patrício, Anthony Lopes e Beto;
Defesas Laterais: Ricardo Pereira, Cedric, Mário Rui, Raphaël Guerreiro;
Defesas centrais: Pepe, Rolando, Rúben Dias e Bruno Alves;
Médios: Bruno Fernandes, João Moutinho, Manuel Fernandes, Rúben Neves, Sérgio Oliveira e William Carvalho;
Avançados: André Silva, Bernardo Silva, Rony Lopes, Quaresma, Gonçalo Guedes e Ronaldo. 

Um problema inesperado à esquerda 

Fábio Coentrão anunciou hoje que não irá representar Portugal no Mundial este verão por não se sentir em condições físicas para o fazer. Se o corredor esquerdo de Portugal já se afirmava um problema para Fernando Santos, pior ficou. Se na baliza não pode existir qualquer dúvida em relação aos convocados dadas as temporadas de bom nível de qualquer um dos três guarda redes que elejo, a lateral esquerda, quando nada o fazia prever, eleva-se como um grande problema. Coentrão auto excluiu-se, Eliseu desapareceu e Guerreiro surgirá na Rússia com muitas reservas relacionadas com a sua capacidade física. Mário Rui, que terminou a temporada de forma segura, mas pouco fulgurante, tal como em Nápoles, deverá surgir nos convocados mais por necessidade do que por excelência. 

Com Cedric como figura fundamental para Fernando Santos - apesar de uma temporada complicada por Southampton - e Ricardo Pereira na sequência de uma temporada impressionante, Cancelo e Semedo terão de ficar em casa após temporadas intermitentes. Já a zona central da defesa deverá começar a ser rejuvenescida com a entrada de Rúben Dias no lote depois de uma temporada de afirmação na Luz, com o central encarnado a necessitar dosear a impetuosidade com que disputa muitos lances para não colocar a equipa de Santos em risco caso seja utilizado. Pepe e Rolando, na teoria, deveriam ser os titulares dada a temporada que realizaram (apesar das dúvidas em relação à forma como Pepe se apresentará na Rússia em termos físicos), enquanto a experiência e capacidade física de Bruno Alves será importante em caso de necessidade. 

Meio campo e ataque oferecem dores de cabeça... positivas

Mesmo com a lesão de Danilo e o apagão de nomes como Adrien, Pizzi, André Gomes e Sanches esta temporada, a Portugal não faltam médios em boa forma. Rúben Neves cresceu imenso esta temporada, Sérgio Oliveira foi um ponto de viragem na temporada do FC Porto, Moutinho regressou ao seu melhor nível, William deverá ser indiscutível e Manuel Fernandes encaixa na perfeição no modelo de Fernando Santos que pede um médio ala de grande influência interior, onde, aliás, joga no Lokomotiv. Além disso, o médio do Lokomotiv chegará ao Mundial como um dos jogadores portugueses que melhor temporada realizou. E, claro, Bruno Fernandes, sério candidato a jogador da temporada em Portugal. João Mário acaba por ser o prejudicado, mesmo tendo terminado a temporada a um nível interessante no West Ham. Fernando Santos deverá levá-lo em detrimento de Rony Lopes, mas o homem do AS Mónaco fez uma temporada muito mais relevante.

Na frente, apenas uma certeza: Cristiano Ronaldo, claro está. André Silva não fez uma boa temporada, mas é o avançado perfeito para jogar com Ronaldo na frente - à imagem de Benzema no Real Madrid - e um bom exemplo de um jogador que dobra o seu rendimento a jogar pela seleção. E não faltam exemplos no Mundo do futebol de casos parecidos. Rony Lopes fez uma temporada fabulosa por França. Gonçalo Guedes foi muito provavelmente, a par de Ronaldo, o jogador português que melhor temporada fez e caso Fernando Santos decida replicar um pouco a estratégia de Toral em Valência, tem em Guedes um homem habituado a fazer a ala esquerda. Bernardo Silva foi figura importante no campeão inglês, enquanto Quaresma é um homem decisivo quando salta do banco de suplentes.

Já fez as suas escolhas? Se não fez, siga este link.