Portugal
"O Paulo Gonçalves deve ter uma toupeira que o leva entre concelhos"
Redação
2021-03-31 15:45:00
Francisco J. Marques lamenta silêncio sobre presença do ex-assessor jurídico num camarote da Luz recentemente

Antigo assessor jurídico da SAD do Benfica e arguido no caso E-Toupeira, Paulo Gonçalves marcou presença nas bancadas do Estádio da Luz no jogo entre Benfica e Boavista, num tema que o FC Porto não deixa cair no esquecimento.

Na emissão do Universo Porto da Bancada, no Porto Canal, o tema voltou à atualidade com Francisco J. Marques a questionar as autoridades para tal situação, dado que o jogo em questão se realizou numa altura de confinamento obrigatório e limitação da circulação entre concelhos, salvo em situações de trabalho, emergências ou situações justificadas.

"É um tema muito engraçado. O Paulo Gonçalves foi fotografado no Estádio da Luz. Foi ver o jogo. Então os estádios estão todos fechados, jogos são à porta fechada, só pessoas em trabalho podem estar e depois são oito elementos dos órgãos sociais de cada clube e o Paulo Gonçalves, que toda a gente sabe que não tem nada que ver com o Benfica, está num camarote a ver o jogo em família no Estádio da Luz?", questiona Francisco J. Marques.

O diretor de Informação e Comunicação do FC Porto diz que esta situação deveria ser esclarecida. "Numa altura em que Portugal está sob regras restritas, no dia em que isto aconteceu vigorava a proibição de circulação entre concelhos, é público que Paulo Gonçalves reside em Santarém, quantos concelhos atravessou para ir ao Estádio da Luz?", insistiu nas interrogações o porta-voz portista.

"Presumindo que foi pelo caminho mais curto... alguns. E não lhe acontece nada?", voltou a questionar Francisco J. Marques que, na altura, já tinha falado do tema mas, perante o silêncio sobre este caso, volta a falar nele.

"A Liga faz de conta que isto não aconteceu, as autoridades que, se alguém passa para Matosinhos ou Gondomar até são capazes de ter um senhor agente a passar uma multa de 100 ou 200 euros, mas ao Paulo Gonçalves... pode ir, desde que seja para ir ao Estádio da Luz não há problema nenhum".

Em tom irónico, Francisco J. Marques referiu ainda que acredita que Vieira nada sabe a este respeito. "O Luís Filipe Vieira não tem nada que ver com o Paulo Gonçalves, como toda a gente sabe. Mas tem uma quota presidencial. Deve ser uma coisa para clubes queridos que permite que o senhor Paulo Gonçalves vá ver os jogos, atravessando vários concelhos".

O responsável pela comunicação portista referiu ainda que "o Benfica parece que tem uma atração pela ilegalidade e têm que estar sempre a infringir as leis". "Fazem questão que toda a gente saiba. Deixam-se fotografar", brincou Francisco J. Marques.

Lamentando que estas coisas aconteçam no país em contexto pandémico, Francisco J. Marques usou de alguma ironia. "Sabemos que estas coisas acontecem mas fingimos. Fazemos de conta (...). Se calhar tem alguma toupeira que o leva e passa pelos concelhos".

Paulo Gonçalves, recorde-se, esteve ligado ao Benfica e também ao Boavista, dado que, entre 2000 e 2006, foi diretor geral do emblema do Bessa.

Posteriormente, em 2007, Paulo Gonçalves iniciou uma ligação à SAD do Benfica, tendo desempenhado as funções de assessor jurídico, tendo deixado o clube liderado por Luís Filipe Vieira na altura em que foi acusado no âmbito do processo E-Toupeira.