Portugal
“O milagre de Amorim no Sporting” em destaque na imprensa britânica
Redação
2021-04-18 20:50:00
Reportagem sobre o “alquimista” que tem colocado os leões na rota de um título que foge desde 2002

O percurso do Sporting na I Liga já deixou de ser uma surpresa em Portugal, mas no exterior ainda causa espanto a forma como os leões se preparam para conquistar o campeonato nacional, título que foge ao clube de Alvalade desde 2002. A World Soccer, uma das mais conceituadas revistas dedicadas ao futebol no Reino Unido, publicou um artigo intitulado ‘O milagre de Amorim no Sporting’.

Classificando o treinador Rúben Amorim como um “alquimista”, a revista destaca, ao longo de quatro páginas, a forma como os leões recuperaram do ataque à Academia de Alcochete e caminham imparáveis rumo à conquista do título, num trabalho escrito quando a vantagem sobre o FC Porto ainda era de dez pontos. “Menos de três anos depois do dia mais negro dos 114 anos de história do clube, o Sporting está de boa saúde. Depois de terem alcançado uma vantagem de 10 pontos sobre os rivais, os leões estão a caminho de conquistar o seu primeiro campeonato desde 2002”, realçou a World Soccer.

A grande fatia do mérito é atribuída a Rúben Amorim, o “alquimista” que soube recriar o terceiro grande (a revista lembra que, nos últimos 18 anos, o título de campeão português foi alternando entre Benfica e FC Porto) com base na ‘prata da casa’. “Sob o comando do novato treinador Rúben Amorim, as contratações do Sporting no verão não entusiasmaram os adeptos. Enquanto o Benfica perseguia jogadores como Edinson Cavani, o Sporting comprava Pedro Gonçalves, Nuno Santos e Bruno Tabata a clubes mais pequenos de Portugal. Jogadores experientes também se juntaram, como Adán ou Feddal, mas Rúben Amorim declarou a sua intenção de preencher o plantel com produtos da formação”, realçou a publicação.

Para além da falta de contratações sonantes, também a precoce eliminação das provas europeias fez aumentar a desconfiança dos adeptos leoninos na capacidade do Sporting em voltar a ser campeão nacional: “A queda prematura na Europa, com uma derrota caseira por 4-1 com o LASK, confirmava a aparente incapacidade deste plantel para competir por troféus até que as coisas começaram a acontecer. Os verde e brancos começaram a ganhar com uma regularidade que não lhes era familiar”.

Ainda no início da carreira de técnico, Amorim mostrou dotes de “alquimista” que o colocam como favorito a tornar-se no “próximo grande treinador português”. “As contratações de verão foram moldadas com alquimia mágica para uma unidade perfeitamente funcional. Esta equipa do Sporting é um exemplo de que o todo é maior do que a soma das suas partes. O alquimista em causa é o treinador de 36 anos Rúben Amorim. A capacidade de tirar o melhor de cada um dos seus jogadores é o sinal mais preciso de um treinador de qualidade de topo. Talvez ainda seja cedo para apelidá-lo do próximo grande treinador português, mas o seu início não podia ser melhor”, finalizou a World Soccer.