Portugal
"O jogo tem um caráter de caos, mas não fugimos às desculpas"
Redação
2021-04-19 14:15:00
Vasco Seabra perspetiva jogo do Moreirense com o Santa Clara lembrando a derrota de sábado com o Tondela

O treinador Vasco Seabra exigiu hoje maior união e combatividade aos futebolistas do Moreirense para regressarem às vitórias na visita ao estádio do Santa Clara, na quarta-feira, em jogo da 28.ª jornada da I Liga.

“Sabemos que vamos ter um adversário difícil de contrariar e de bater, mas acreditamos em nós e naquilo que os jogadores são capazes de fazer. Temos de aumentar os níveis de agressividade, intensidade e concentração e estar a 150 por cento das nossas capacidades para sair dos Açores com três pontos”, apontou o técnico, em conferência de imprensa.

Os minhotos têm cinco triunfos e duas derrotas fora de portas sob orientação de Vasco Seabra, que ainda não venceu em casa, ao somar seis empates e dois desaires, o último no sábado, frente ao Tondela (3-2), que “tem de ficar claramente marcado na memória”.

“O jogo tem um caráter de caos, mas não fugimos às desculpas ou a essa aleatoriedade. Sabemos que podemos e temos de fazer melhor e já falámos com os atletas sobre isso. Temos condições para ser mais rigorosos e criteriosos em tudo aquilo que estamos a fazer, de forma a não permitir uma entrada como aquela que tivemos”, partilhou.

Com três golos sofridos nos 12 minutos iniciais, o Moreirense perdeu terreno na luta pelo sexto lugar, o último que poderá dar acesso às competições europeias da próxima temporada, acentuando a urgência de ser “altamente competente em cada segundo”.

“O Santa Clara vai lutar por conseguir manter-se na luta pelos objetivos definidos. É uma equipa bem orientada e trabalhada, com dinâmicas muito próprias, que assume o jogo, é forte a pressionar e tem qualidade. Vamos ter de estar no nosso melhor como sempre, sem permitir veleidades em detrimento daquilo que são as nossas exigências”, insistiu.

Face ao encaixe dos derradeiros sete encontros do campeonato nas próximas cinco semanas, Vasco Seabra admite que a gestão dos titulares “não pode ser a mesma que é feita de semana a semana, quando os jogos têm um descanso de seis ou sete dias”.

“Precisamos de fazer ajustes em função de cada jogo e da frescura dos jogadores, sem que isso abale o compromisso, agressividade e intensidade desejados em cada jogo. Por isso, torna-se vital e necessário que sintamos a confiança necessária em todos, de forma a podermos entrar em campo, ser competentes e sair com pontos e vitórias”, afiançou.

Exemplo disso foi o médio Fábio Pacheco, terceiro atleta com mais minutos e suplente não utilizado frente ao Tondela, que falhou pela primeira vez um jogo desta edição da I Liga por opção técnica, além de outras duas ausências prévias por razões disciplinares.

“No próximo jogo serão novos jogadores a entrar, que até podem ser exatamente os mesmos, obviamente com a exceção do Steven Vitória, que foi expulso e cumprirá castigo. Iremos procurar novas frescuras e dinâmicas face ao que queremos acrescentar. O Fábio, tal como os outros jogadores, é importante e estará disponível”, finalizou.

Os vimaranenses nunca ganharam desafios a contar para o principal escalão nos Açores, onde irão aterrar ainda hoje e farão o último treino de preparação na terça-feira, numa comitiva sem os lesionados Pedro Amador, Sori Mané, Pedro Nuno e Derik Lacerda.

O Moreirense, oitavo colocado, com 34 pontos, visita o Santa Clara, sétimo, com 35, na quarta-feira, às 14:30 (15:30 em Lisboa), no Estádio de São Miguel, em Ponta Delgada, em partida da 28.ª jornada, com arbitragem de Vítor Ferreira, da associação de Braga.