Portugal
"O Barcelona dava 150 milhões pelo Darwin. Já havia Juventus, Real Madrid..."
Redação
2021-02-04 11:55:00
Avançado uruguaio procura afirmação na Luz

Contratação mais cara da história do Benfica, Darwin Núñez trocou a II Divisão espanhola pelo clube encarnado, eternamente pressionado por uma tradicional natureza competitiva. A mudança de realidade colocou pressão sobre os ombros do uruguaio que tarda em se afirmar como referência do ataque encarnado.

Depois do clássico de Alvalade, no qual voltou a ficar em branco, na derrota encarnada, as críticas não tardaram a Darwin, até porque o empresário, horas antes, tinha garantido que o uruguaio ia "partir tudo" no dérbi. E após o apito final, Darwin teve mesmo de suspender as contas nas redes sociais devido aos comentários ofensivos de que foi alvo.

A verdade é que o camisola 9 voltou a não faturar e ainda colecionou algumas jogadas em que a decisão tomada acabou por, aos olhos do adepto, não ser a melhor, até porque não resultou em golo, afinal, o grande remédio para os males dos avançados.

Fernando Mendes, ex-jogador português, que chegou a representar o Benfica, diz que a pressão que desde cedo colocaram no atacante estará na origem das dificuldades que Darwin evidencia para marcar golos de forma consecutiva.

"O Darwin chegou ao Benfica e passado uma semana o Barcelona dava 150 milhões por ele", comentou Fernando Mendes, lembrando que, por essa altura, circulavam notícias de que a estrutura quereria, alegadamente, aumentar-lhe o contrato.

"Já pensavam aumentar a cláusula de rescisão. Já havia o Barcelona, a Juventus, o Real Madrid, tudo e mais alguma coisa", lembrou Fernando Mendes, destacando que essas coisas podem mexer no aspeto mental do atleta.

Certo de que Darwin é um "miúdo" e "um excelente jogador", Fernando Mendes critica a pressão que lhe colocam em cima de forma sistemática..

"A pressão é constante em cima do miúdo", afirmou o ex-jogador encarnado, sustentando, em relação ao dérbi, que num dos lances protagonizado por Darwin, se Jesus estivesse no estádio, as orelhas ficariam 'a arder'.

"Se Jorge Jesus estava no banco, o Darwin Núñez levava uns gritos", afirmou Fernando Mendes, na CMTV, em alusão a um lance em que, quando estava 0-0 no marcador, o Benfica atacou com mais unidades perante uma defesa do Sporting com três homens mais o guarda-redes mas, mesmo assim, Darwin não soltou a bola para os colegas, tentou a iniciativa individual mas o compatriota Coates roubou-lhe a bola com um corte.

Darwin Núñez assinou por cinco anos, até 30 de junho de 2025, e está preso ao emblema da Luz por uma cláusula de rescisão de 150 milhões de euros.