Portugal
"O António Salvador pode segurar os jogadores. Depende dele, do interesse dele"
Redação
2021-03-04 14:25:00
Ex-capitão bracarense pede ao presidente para manter o plantel para lutar pelo título

Braga acordou nas nuvens com o apuramento para a final da Taça de Portugal do 'seu' emblema frente ao FC Porto e Vandinho, ex-capitão minhoto, aconselha António Salvador a segurar as 'pérolas' bracarense se quiser lutar pelo título.

"Depende do presidente. O António Salvador pode segurar os jogadores. Depende dele, do interesse dele em lutar pelo título", comentou Vandinho, certo de que é necessário manter o plantel com o passar do tempo.

"Se conseguir manter todos os jogadores até ao fim é muito mais fácil. Quando começam a sair jogadores que começam a destacar-se fica mais difícil", referiu o ex-capitão dos minhotos, sutentando que, não raras vezes, a saída de um ou dois jogadores acaba por ter enorme impacto no rendimento desportivo da equipa.

"Por vezes, perdemos duas peças mas perdemos muito. Tudo isso tem influência na disputa pelo título. No meu tempo, não saiu ninguém e lutamos até ao fim", recordou Vandinho, lembrando a época em que, com Domingos Paciência, o SC Braga lutou até ao fim pelo título frente ao Benfica de Jorge Jesus, que se sagrou campeão na época 2009/10.

Para Vandinho, o rendimento atual do SC Braga deve-se à escolha das pessoas "corretas" para os lugares na estrutura minhota e não a estou ou aquele elemento.

"O SC Braga está a colher frutos por ter pessoas corretas na estrutura. Tem bons profissionais porque nada se consegue sozinho", comentou Vandinho, ex-capitão do SC Braga, na TSF.

Depois do empate (1-1) no jogo prévio, em Braga, os arsenalistas praticamente resolveram a eliminatória que venceram, na meia hora inicial deste desafio, no Dragão, com os golos de Abel Ruiz (9 e 14 minutos) e Lucas Piazón (28) a que o FC Porto ainda respondeu, mas de forma insuficiente, com os tentos de Otávio (30) e Marega (75).

O conjunto bracarense, que no jogo frente ao FC Porto esteve em inferioridade numérica desde os 34 minutos, devido à expulsão de Borja, garantiu a sua sétima presença em finais da prova rainha do futebol português, eliminando o atual detentor do troféu.