Portugal
"O Amorim terá sido o seguro de vida do Varandas mas a apólice era curta"
2022-10-18 13:55:00
"Ou o Rúben Amorim muda ou sai", diz antigo dirigente verde e branco

A crise que se instalou em Alvalade deixa Hélder Amaral, antigo membro do Conselho Leonino e conhecido adepto verde e branco, com muitas reservas relativamente ao futuro do emblema verde e branco, desejando uma rápida mudança da postura de Rúben Amorim sob pena de ser ditada uma mudança do comando técnico dos leões.

"Ou o Rúben Amorim muda ou sai. Não há mais possibilidades. Mas para o Rúben Amorim mudar é preciso que alguém o ajude e o proteja", indicou Hélder Amaral, avisando o treinador do clube de Alvalade que este não é o proprietário do emblema verde e branco. "O Rúben Amorim não é o dono do Sporting".

A este propósito, Hélder Amaral lembra que "os contratos dos jogadores não são feitos com o Rúben Amorim, são feitos com a Sporting SAD."

Por isso, o conhecido adepto e ex-dirigente do Sporting espera que as coisas mudem rapidamente para que o clube de Alvalade não deixe escapar mais nenhum objetivo, como já deixou escapar a Taça de Portugal ao perder na primeira eliminatória em que entrou frente ao Varzim.

Num olhar ao contexto verde e branco, Hélder Amaral diz que não quer discutir táticas nem modelos de jogo, mas nota que sem um goleador não é fácil lutar pelo título.

"Rúben Amorim tem sido intransigente. Não tenho preferências por nenhum jogador. A minha preferência vai para jogadores que jogam bem e marcam golos. Não vou discutir táticas. Sem um avançado que atinja médias de 20 ou 30 golos dificilmente seremos campeões", lamentou o associado verde e branco, que deixou também críticas a Frederico Varandas.

"Eu lamento ter um presidente que em vez de colocar exigência na equipa e que o Sporting se compara ao Marselha e que tinha obrigação de ganhar ao Marselha vem dizer o contrário", criticou Hélder Amaral, que em declarações na Antena 1 disse estar em "pânico" com Varandas.

"Estou quase em pânico. Temo  que o Sporting vá voltar ao que foi no passado com várias direções. O clima parece-me mais de rutura do que o contrário. E isso significa voltar à casa de partida", teme Hélder Amaral, realçando que a "apólice" do seguro de Frederico Varandas está "curta".

"O Amorim terá sido o seguro de vida do Frederico Varandas mas a apólice era curta", atirou Hélder Amaral, um dos rostos mais mediáticos na oposição à gestão de Frederico Varandas.

O antigo dirigente avisa que, além da Taça de Portugal, o Sporting ainda poderá tentar salvar a época. Mas admite que são precisas alterações no funcionamento da equipa principal dos leões.

"No fundo ainda não se perdeu nada. Só se perderá se não houver capacidade para dar um 'murro na mesa'. O caminho é inaceitável", concluiu.