Portugal
"No Porto Canal não encontrei declarações, não encontrei Francisco J. Marques"
2024-02-02 10:30:00
"Acho que o FC Porto tem muitas coisas para dizer e eu estou atento a essas coisas todas", diz Mauro Xavier

O 'furação' noticioso dos últimos dias no desporto e na Justiça tem tido amplo destaque relacionado com as buscas e detenções da Operação Pretoriano com membros dos Super Dragões e funcionários do FC Porto. Contudo, Mauro Xavier, gestor e conhecido adepto do Benfica, estranha a forma como o assunto tem sido tratado pelo Porto Canal, estação televisiva nortenha.

“Não encontrei o Francisco J. Marques na internet, no Porto Canal não encontrei declarações de nenhum administrador do FC Porto, não consegui encontrar rigorosamente nada”, lamentou Mauro Xavier, destacando que o FC Porto "tem muitas coisas para dizer".

“Acho que o FC Porto tem muitas coisas para dizer e eu estou atento a essas coisas todas. Quero começar pelas contas do FC Porto e terminar no que os seus funcionários fizeram no exercício de funções”, desafiou Mauro Xavier.

“Não encontrei o Francisco J. Marques na internet, no Porto Canal não encontrei declarações"

Em declarações na CMTV, o gestor aproveitou para recordar as palavras de Pinto da Costa ao comentar a Assembleia Geral do FC Porto que está na base das buscas e detenções levadas a cabo na investigação aos Super Dragões.

“Eu a ligação que faço é que para o hospital não foi ninguém mas na prisão já estão dois funcionários do FC Porto”, disse Mauro Xavier, em alusão ao que tinha dito Pinto da Costa.

"Também parece que andou tudo aos tiros. Não foi ninguém para o hospital", disse Pinto da Costa, à SIC, realçando que era o presidente da Assembleia Geral que tinha de tomar medidas, e não ele enquanto presidente da Direção.

"Não tenho poder para separar quando as pessoas entram em zaragatas. Não sou segurança", explicou, na altura, o presidente do FC Porto, assegurando que tentou ajudar a acalmar a situação.

"Também parece que andou tudo aos tiros. Não foi ninguém para o hospital", disse Pinto da Costa

"Pedi ao presidente do Conselho Fiscal que fosse comunicar ao presidente da Assembleia que deveria terminar com a reunião, imediatamente. Não podia ser eu, só dei a minha opinião. E ele terminou", referiu Pinto da Costa, ele que há décadas comanda o emblema azul e branco.

Agora, Mauro Xavier diz que gostaria de saber o que está o FC Porto a fazer em relação aos detidos no âmbito da Operação Pretoriano. “E aquilo que eu gostava de saber mais do que as questões das claques, é se foi levantado algum inquérito, se estão suspensos enquanto funcionários do FC Porto”.