Portugal
"Ninguém mandou Amorim embora do Benfica. Foi um erro? Está provado que foi"
Redação
2021-04-08 12:25:00
"À segunda-feira eu era rico porque ganhava sempre o Euromilhões", diz Capristano

Rúben Amorim tem feito um percurso histórico desde que começou a sua carreira de treinador. Colecionando já alguns troféus, o atual treinador do Sporting protagonizou há cerca de um ano uma transferência recorde de Braga para Alvalade, por valores milionários pouco comuns para a realidade nacional no que a transferências de treinadores diz respeito. 

Antigo jogador do Benfica e um dos líderes do balneário na Luz, Rúben Amorim chegou a ser entrevistado pelos responsáveis da formação encarnada quando terminou a carreira de jogador e procurou iniciar-se e aventurar-se como treinador. Apesar das conversas, Rúben Amorim acabaria por não permanecer no Benfica e rumou ao SC Braga, onde António Salvador lhe entregou a equipa B minhota, antes de o subir para a equipa principal quando Ricardo Sá Pinto deixou a 'Pedreira'.

Nas últimas semanas, e face ao sucesso que Rúben Amorim tem tido, foi noticiado um alegado desconforto sentido por Luís Filipe Vieira pelo facto de o Benfica ter deixado escapar do Seixal Rúben Amorim, sobretudo pelos resultados que vai agora obtendo. De resto, quando foi apresentado em Alvalade, Frederico Varandas justificou os milhões envolvidos na transferência com o facto de o Sporting confiar no técnico e, ao mesmo tempo, ser uma espécie de 'jogada de antecipação'. 

"Não temos dúvidas que o Rúben Amorim será demasiado grande para o futebol português. Se este treinador fosse apresentado noutro lugar, seria uma grande jogada. Aqui é um risco. Vai ser um futebol apoiado na nossa formação, sem medo de lançar jogadores, é a nossa escolha, não só pelos resultados que teve no SC Braga, mas sim pelo conhecimento que temos enquanto treinador e o homem. É uma opção, é uma mudança do paradigma", disse Frederico Varandas, em março de 2020, quando apresentou Rúben Amorim como treinador do Sporting.

José Manuel Capristano, antigo vice-presidente do Benfica, lamenta que o técnico não tenha tido espaço no clube encarnado mas lembra que é fácil falar depois das coisas acontecerem e por isso entende que Benfica e Rúben Amorim não tenham chegado a acordo. "À segunda-feira eu era rico porque ganhava sempre o Euromilhões. Vamos lá ver, nem os sportinguistas sonhavam que esta época pudesse correr como está, muito menos portistas ou benfiquistas. Sem colocar em causa o Rúben Amorim, que enquanto jogador, segundo me dizem, já era um tipo interessado e se via nele que teria futuro enquanto treinador. Daí a chegar-se à conclusão de ser um 'best seller' destes, um ganhador de excelência com uma linguagem excelente, quer dizer, ninguém podia imaginar".

Capristano referiu ainda que "niguém o mandou embora" do Benfica. "Do diálogo com Pedro Mil-Homens [diretor-geral da formação do Benfica] ele não podia continuar o seu projeto e foi-se embora. Isso é verdade. Sendo benfiquista, acredita em si próprio. Agora no plano profissional é mais sportinguistas. Foi um erro? Está provado que foi um erro", considerou Capristano.

Em comentário na CMTV, o ex-vice do Benfica diz que, seguindo essa linha de pensamento, porventura, também entrar na estrutura de formação do Benfica poderia ser curto para os objetivos de Rúben Amorim. "Agora, iria para o futebol de formação? Se ele sonhasse que chegaria onde chegou se calhar não queria isso [esse cargo]. A vida tem destas coisas. Às vezes é preciso estar na hora certa no local certo."