Portugal
"Nem no dinheiro sou conservador. Nem sempre será um mar de rosas", avisa Sérgio
2020-10-23 13:55:00
Treinador do FC Porto diz que "o primeiro passo para se dar a volta é ganhar"

Sérgio Conceição rejeita a ideia de ser um treinador conservador e esclareceu que "nem no dinheiro" o é, defendendo que o FC Porto era apelidado de "rolo compressor" e esperando que assim se possa manter no futuro.

"Eu jogo sempre para ganhar. Isto não é ser conservador", garantiu Sérgio Conceição, destacando que os jogadores que chegaram recentemente precisam de tempo de adaptação.

"Não é fácil chegar ao FC Porto e entrar de caras. Entrava o Ronaldo, o Messi e uma dúzia de jogadores. Mas não é o caso. Vieram jogadores de realidades diferentes, de outro país e é normal que haja um período de adaptação que contrasta com a exigência de vitórias", disse, esperando dar a volta à onda de maus resultados dos azuis e brancos.

"O primeiro passo para se dar a volta é ganhar. Não podemos andar a trabalhar mais ou menos ou estar motivados ou não por um resultado. Para nós, o importante é saber que temos um caminho e nem sempre será um mar de rosas. Temos de ter confiança no trabalho. Temos de ir à luta e dar a volta ao momento menos bom", afirmou Sérgio Conceição, em antevisão ao encontro frente ao Gil Vicente, relativo à quinta jornada do campeonato e agendado para as 20h30 deste sábado, no Estádio do Dragão.

Após a derrota para a Champions contra o Manchester City, Sérgio Conceição já só pensa no Gil Vicente e sublinhou ainda que não alinha em vitórias morais mas lembra as exibições recentes dos seus atletas nos jogos que o FC Porto realizou.

"Em muitos momentos direi que fomos um grande FC Porto em Alvalade e temos também a ideia que fizemos o mesmo com o City. Não vivemos de vitórias morais, vivemos de pontos. A melhor maneira de dar a volta é ganhar", insistiu.

O treinador dos dragões lamenta ainda o atraso pontual para o líder Benfica, mas diz que tudo está ainda em aberto na disputa pelo título de campeão nacional.

"Isto é uma maratona. Exigentes como somos, não queremos deixar pontos mesmo que seja no início de campeonato. Cabe-nos a nós ir atrás. Amanhã temos a possibilidade de voltarmos às vitórias e de uma forma sólida que é o que quero da minha equipa", disse, esperando manter a dinâmica na sua equipa.

"A dinâmica e os princípios de equipa estão sempre lá, podem variar por uma situação ou outra, ou pelo adversário, mas a nossa forma de jogar e dinâmica está sempre lá."

Questionado se o FC Porto tem de jogar o triplo nesta época para vencer, Sérgio Conceição recorda que na última época a sua formação teve jogos de alto nível.

"Não tem de jogar o triplo. Tem de encontrar soluções para ganhar jogos. Pode ser a jogar ligeiramente diferente. Em muitos jogos do ano passado, jogámos muito", disse Sérgio Conceição na conversa com os jornalistas, lamentando a falta de tempo para preparar os jogos.

"Eu gosto é da dinâmica no treino. O quadro e o vídeo é bom, mas eu acho que o importante é no campo, é pisarem o espaço", destacou, sublinhando que "no quadro é tudo muito bonito e fácil".

"No campo é que eu gosto. Tem o espaço físico. Ultimamente ouço conferências com um português tão mau", assinalou o técnico do FC Porto.