Portugal
"Nefasto para o Sporting tirar Amorim do banco três jogos. Já vimos pior"
Redação
2021-04-15 15:50:00
"Os árbitros têm de ter noção de que está muita coisa em jogo", diz ex-jogador do FC Porto

Os ânimos têm andado exaltados por parte de alguns protagonistas do futebol português e à medida que o campeonato se encaminha para o seu final as decisões aproximam-se e a pressão aumenta. O nervosismo está à flor da pele e o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, tal como a Comissão de Instrutores da Liga, têm andado no topo da atualidade dadas as suas decisões, multas e castigos por conta de situações que têm acontecido nos jogos e até após o apito final.

O caso mais recente tem Rúben Amorim, treinador do Sporting, o árbitro Rui Costa e o assistente Nuno Manso como protagonistas, com Manso a ter dado indicações a Rui Costa para expulsar o técnico verde e branco. Durante a semana, saiu o castigo ao treinador do conjunto de Alvalade e este ficou a saber que foi penalizado com uma multa de quase sete mil euros e uma suspensão de quinze dias. Amorim já se justificou publicamente e assegurou que não disse aquilo que o relatório do árbitro diz que ele disse. Caberá agora às instâncias disciplinares avaliar quem fala verdade nesta situação. Até lá, o futebol dentro das quatro linhas segue 'dentro de momentos' e Cândido Costa, ex-jogador de futebol, apela a que os árbitros e as entidades que gerem a disciplina em Portugal tenham sensibilidade.

"Parece-me excessivo o tempo [de suspensão] numa fase tão crucial do campeonato. Parece-me nefasto para o Sporting tirar o treinador do banco durante três jogos", comentou Cândido Costa, lembrando que desentendimentos no campeonato são frequentes. "Estamos num campeonato português e numa realidade onde já vimos bastante pior. São práticas comuns, recorrentes, que não apoio, naturalmente. Às vezes quem não se sente não é filho de boa gente. Não estou a dizer que os árbitros têm culpa mas temos de olhar para a fotografia toda. Na minha opinião, não todos, mas os árbitros não têm a melhor forma de se fazerem sentir no jogo".

Em comentário na TVI 24, o ex-futebolista referiu também que jogou em vários clubes e percebe que há uma certa linguagem no futebol que todos usam. "Não há santos na equação. O que se verbaliza é uma constante em todas as realidades. Todas. Todas. E as reações aos desaires são semelhantes. Tem que se cultivar uma conduta apropriada", definiu, ainda assim, apelando aos árbitros para que percebam que nesta ponta final muito se jogará.

"Os árbitros têm de ter noção de que está muita coisa em jogo e as pessoas ficam transtornadas e basta uma pequena provocação para sair aquilo tudo que vai lá dentro", referiu Cândido Costa, certo de que o tempo de suspensão aplicado a Rúben Amorim lhe parece "excessivo". "Parecem-me excessivos os quinze dias", sustentou o ex-jogador.