Portugal
“Não podemos esperar que as coisas caiam do céu”, diz Carvalhal
2021-04-11 21:30:00
SC Braga empatou com Belenenses SAD, técnico dos minhotos critica apatia da equipa, no segundo tempo

O técnico do SC Braga não gostou da segunda parte da equipa, na partida diante do Belenenses SAD, que terminou empatada a um golo e atrasou os minhotos na luta pelos lugares de qualificação para a Champions.  

E na conferência de imprensa de análise ao jogo, Carlos Carvalhal deixou esse sentimento vincado. “O Belenenses SAD é a terceira equipa menos batida do campeonato e é muito difícil criar oportunidades e meter velocidade contra eles, é preciso paciência e tivemo-la na primeira parte. Tivemos seis oportunidades claras, o Belenenses SAD teve três, podíamos ter chegado ao intervalo mais confortavelmente e justificámos essa vantagem”, enquadrou. 

Só que “na segunda parte, até ao golo do Belenenses SAD, a equipa não esteve tão bem, ficou na dúvida entre segurar o 1-0 e procurar o 2-0, não arriscou tanto a meter mais unidades na frente e sofre um golo de contra-ataque" 

Esse período não gostei da nossa prestação. Com as substituições, empurrámos o Belenenses SAD outra vez para trás, tivemos quatro claras oportunidades para marcar, mas a falta de eficácia foi a grande pecha deste jogo, fomos penalizados por isso, ao contrário do jogo em Faro, em que, com duas oportunidades, marcámos dois golos. Tivemos engenho e arte para criar muitas oportunidades de golo, o lado negativo foi o resultado. Mas o futebol é eficácia”, resumiu. 

Carlos Carvalhal notou que a equipa desligou do jogo e pagou o preço dessa atitude. “Do minuto 45 até ao golo do Belenenses SAD, a equipa desligou do jogo, temos que ser mais proativos e não esperar que as coisas caiam do céu. A intenção após o intervalo era marcar o 2-0, jogámos no limite do risco e, quando assim é, podemos sofrer atrás, como no golo do Belenenses SAD, mas também foi assim que criámos várias oportunidades de golo e como jogamos ao longo da época”, realçou. 

Sobre Gaitán, que marcou o primeiro golo, Carlos Carvalhal referiu que já está em boas condições, depois de uma época azarada. “Não me quero alongar em apreciações individuais, porque o futebol é um desporto coletivo. Ele teve uma época azarada com as lesões, fez depois três pré-épocas, há algumas semanas que já está a treinar nas suas melhores condições e vai ter que crescer com o tempo de utilização, hoje cumpriu o seu papel", referiu.