Portugal
"Não percebo porque não há aqui um relvado em condições", diz Jesus
Redação
2021-03-08 23:15:00
Treinador critica falta de "entendimento" em relação ao Estádio do Jamor

O treinador do Benfica, Jorge Jesus, deixou fortes críticas ao estado do relvado do Estádio do Jamor, após a partida desta noite, com o Belenenses SAD (0-3), para a 22.ª jornada da I Liga.

O comentário surgiu quando o técnico foi questionado sobre a 'mudança' da final da Taça de Portugal, na qual o Benfica vai defrontar o SC Braga, para o Estádio Cidade de Coimbra, quando é 'tradição' o jogo ser realizado no Jamor.

"Quanto entrei, lembrei-me disso, mas a nostalgia não é só pelo facto da final não poder ser aqui, é pela nossa vida hoje. Hoje não vivemos em liberdade. Vivemos em liberdade de expressão, mas não vivemos em liberdade intelectual e espiritual. Face à pandemia, todos nós temos restrições e o futebol não foge a isso", começou por responder o técnico, na conferência de imprensa após a partida com o Belenenses SAD.

Depois da referência à covid-19, a crítica à qualidade do relvado e à falta de "um entendimento" entre a Federação Portuguesa de Futebol e o Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), entidade que gere o Estádio do Jamor.

"Este relvado não tem condições para que haja aqui uma final. O estádio é bonito, lindo, e não percebo porque não há um entendimento entre a Federação [Portuguesa de Futebol] e não sei quem [IPDJ] para que se coloque aqui um relvado com condições, independentemente de quem jogar aqui. Este estádio merece um relvado em condições", frisou Jorge Jesus.

"Mas penso que a razão não será essa [relvado], será em relação ao problema que a nossa sociedade e o mundo todo estão a viver [covid-19]. Temos que jogar noutro lado. O Jamor diz-me muito, fui criado aqui nestas redondezas. Vi tantas finais... E também tive algumas tristezas neste estádio, não tive só alegrias", complementou o técnico das águias.

Momentos antes, Jesus já se tinha referido ao relvado como "manhoso", apontando também o dedo à iluminação. "O relvado do Estádio do Jamor estava manhoso. Dentro do possível, o Belenenses SAD fez tudo para ter um bom relvado, mas este nunca teve qualidade sequer. A própria iluminação do estádio era manhosa", afirmou.

Já sobre o jogo com o Belenenses SAD, o treinador do Benfica foi questionado sobre a exibição de Seferovic, autor de dois golos dias depois de Jesus ter dito que a equipa precisava de alguém que fizesse... golos.

"Tenho falado muito com o Seferovic, tenho-o corrigido muito, nomeadamente o posicionamento na área. Ele veio ter comigo porque disse-lhe várias coisas relativamente ao posicionamento. Tem vindo a melhorar. Tenho-lhe dito que, comigo, os avançados fazem 30 golos. Não quero estar a falar de outras equipas, mas tem sido igual. Tenho falado com ele, com o Darwin e com o Ramos, para tentar corrigir posicionamentos na área", reagiu o técnico.

"O Seferovic precisa de um jogo coletivo da equipa a criar situações para ele finalizar. Não é um jogador como o Darwin, que se for preciso agarra na bola e tira [adversários] da frente, o Seferovic tem outras características. São jogadores mais posicionais. Temos vindo a trabalhar nisso, até na perda de bola. É um jogador que dava pouca segurança na equipa a segurar de costas, pois perdia muito a bola. Mas para além disso vale a pena destacar as duas grandes assistências do Grimaldo. Até a bola do Pizzi na cara do guarda-redes é dele", complementou. 

Ainda na conferência de imprensa, Jesus deixou um elogio ao autor do terceiro golo, o reforço de inverno Lucas Veríssimo: "Tem sido praticamente imbatível. É muito focado e inteligente, percebe com facilidade as mensagens e estamos contentes com o desempenho dele".