Portugal
"Não percebi". Costinha critica rendimento de Paulinho
2021-04-19 16:45:00
'Ministro' diz que avançado tem de apresentar outros números na frente da baliza

O Sporting pagou 16 milhões (13 milhões mais o passe do esquerdino Borja, avaliado em três milhões de euros) por 70 por cento do passe e assinou um contrato válido por cinco temporadas e meia com Paulinho, ficando o internacional português vinculado com um cláusula de rescisão fixada em 60 milhões. Números 'poderosos' para o mercado interno que atiraram pressão para cima dos ombros de Paulinho e de Rúben Amorim, o treinador que nunca negou que gostaria de tê-lo de leão ao peito, depois que se cruzou com o avançado ainda na minhota cidade de Braga.

Paulinho chegou a Alvalade e para a cidade dos arcebispos rumou Sporar, enquanto que Tiago Tomás permaneceu no emblema leonino, ainda que perdento espaço, aqui e ali, mas ficando sempre como uma opção e uma solução frequente de Rúben Amorim. Só que, apesar do forte investimento em Paulinhos, os golos, afinal o grande tónico dos avançados, tardam em aparecer. Mais que isso, na última partida, Paulinho teve oportunidade mas, não sendo egoista, preferiu servir companheiros em vez de atirar à baliza e Costinha, antigo dirigente dos leões, diz que não percebe como é que um avançado encara a baliza e resolve servir os colegas, em vez de tentar o golo.

"Não percebi. Parece que há falta de confiança no Paulinho. Um grande ponta de lança ou um grande avançado daqueles mesmo... perguntem ao Nuno [Gomes] se passava a bola a alguém, alguma vez?", interrogou Costinha, em declarações na TVI 24, falando do lance de Faro no qual, aos 50 minutos, Paulinho serviu João Mário em vez de rematar à baliza de Beto.

Presente num painel da TVI 24 onde estava o ex-internacional Nuno Gomes, o 'ministro' disse ainda que se vê um Paulinho "desconfiado" de leão ao peito. "Nota-se que ele está meio desconfiado", referiu Costinha, numa ideia acompanhada pelo ex-avançado do Benfica. 

"Um avançado tem que arriscar para depois se saber se é feliz ou não", disse Nuno Gomes, aconselhando Paulinho a focar-se mais na baliza para tentar os golos que os adeptos do Sporting tanto querem dele. "Para um avançado, o golo dá confiança".

Nuno Gomes referiu ainda que Paulinho "atravessa uma fase em que não tem abundância de golos como no passado". Mas o ex-camisola 21 encarnado lembra que já em Braga o atual 21 dos leões não era um avançado que só vivia de golos. "Ele foi sempre um jogador de equipa, de criar oportunidades. Mas um avançado tem que apresentar golos e ele tem que os fazer rapidamente. Para que o Sporting nem sofra tanto", aconselhou o antigo internacional português.

De leão ao peito, até esta altura, Paulinho soma 500 minutos e um golo. O avançado marcou frente ao Moreirense, no empate a uma bola, em jogo a contar para a 25.ª jornada do campeonato. Titular em seis dos sete encontros que já leva pelo Sporting, Paulinho procura aumentar a sua contabilidade no que a golos diz respeito.