Portugal
"Não me sinto mais ou menos feliz com qualquer renovação", diz Conceição
2021-11-19 13:40:00
Treinador do FC Porto quer foco máximo na Taça de Portugal

O treinador do FC Porto salientou o “trajeto interessante” que o Feirense, próximo adversário na Taça de Portugal de futebol, tem feito na II Liga, mas diz ser obrigação dos ‘dragões’ contrariar a motivação contrária.

Sérgio Conceição comparou a formação de Santa Maria da Feira, orientada por Rui Ferreira, com equipas que jogam na I Liga, salientando a qualidade que revê no jogo que apresenta.

“Nos jogos da Taça acontecem algumas surpresas, precisamente por essa motivação que as equipas têm na disputa desta competição. Estamos alertados e preparados para isso. O adversário tem feito um trajeto interessante na II Liga. Comparo estas equipas mais fortes desta II Liga a muitas das que jogam na I Liga. Cabe-nos contrariar um Feirense com muita motivação, uma ideia de jogo bem definida e não penso que isso irá mudar”, disse na conferência de imprensa de antevisão da partida da quarta eliminatória da Taça de Portugal.

O treinador portista admitiu ainda que a única gestão que pode fazer para o jogo com Feirense será apenas a pensar no melhor para esse jogo, não pensando no jogo da Liga dos Campeões, em Liverpool, quatro dias depois. Ainda assim, disse que três jogadores importantes deverão falhar a partida, devido a lesão.

“A Taça é a prioridade maior, até porque é o próximo jogo. A gestão que temos de fazer tem a ver com este momento, com as viagens que fizeram, com os jogos que jogaram, mas a pensar nesta partida. O Liverpool vem depois”, afirmou o técnico, que confidenciou ainda: “Há jogadores que estão no limite. O Marcano saiu do treino e acho difícil dar o seu contributo, o Pepe também está com dificuldades. O Wendell voltou, mas não está ainda a 100 por cento.”

Sérgio Conceição abordou ainda a pausa devido às seleções e afirmou que esta não ajuda em nada a preparação dos próximos jogos.

“A pausa para as seleções faz com que não seja fácil preparar o jogo que se segue. Os jogadores chegam das seleções em contextos diferentes. Uns jogam, o que é bom, e têm jogado muito connosco, outros não. Chegam em patamares diferentes. Essa gestão não é fácil e, muitas vezes, obriga-nos a utilizar quem preparou o jogo de uma forma mais cuidada e com mais tempo”, explicou ainda.

O treinador portista abordou ainda a renovação de Fábio Vieira. O médio renovou contrato até 2025, na quinta-feira.

“Os jovens podem ter qualidade técnica, mas existem outras situações que são importantes no jogo deles e é isso que temos de passar. Não me sinto mais ou menos feliz com qualquer renovação, porque olhamos para aquilo que é o plano desportivo. Não posso dizer que fiquei muito contente porque renovou contrato, e na conferência seguinte dizer que não olho para a durabilidade dos contratos. Tenho jogadores a acabar contrato este ano e não olho para isso. Vejo que o clube está a fazer um trabalho muito bom nesse sentido. Não se renova porque é jovem, renova-se porque tem qualidade para estar aqui”, garantiu.

O FC Porto, da I Liga portuguesa de futebol, recebe no sábado, às 20:15, no Estádio do Dragão, o Feirense, da II Liga, numa partida da quarta eliminatória da Taça de Portugal, que será arbitrada por Hugo Miguel, da associação de Lisboa.