Portugal
"Não estar no banco tira mais a mim do que à equipa", garante Miguel Cardoso
Redação
2021-04-16 18:00:00
Treinador do Rio Ave refere que "não há mais acrescentar" sobre o gesto polémico no jogo com Boavista

O treinador do Rio Ave, Miguel Cardoso, prometeu hoje uma equipa a jogar “no limite das suas capacidades” no duelo de sábado com o Sporting de Braga, da 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

A formação vila-condense não vence há quatro jogos [três empates e uma derrota], mas o técnico acredita que o grupo está à altura de mudar essa sequência na receção ao adversário minhoto se mantiver a "união".

"Espero um Rio Ave que possa jogar no limite das suas capacidades e que seja fiel ao plano de jogo que definimos e que nos pode aproximar de vencer o jogo. A mensagem passada é que temos de estar a 100%. Não é altura de só dar 99%. Para isso, todos temos de estar unidos em torno desse propósito", disse Miguel Cardoso.

Desunido fisicamente da equipa estará o técnico, que não poderá acompanhar o jogo no banco de suplentes, uma vez que terá de cumprir uma suspensão de oito dias, devido a um polémico gesto protagonizado no desafio da ronda anterior, frente ao Boavista.

Miguel Cardoso preferiu "não falar mais desse assunto", dizendo que "não há mais acrescentar", e não considerou que a sua ausência no banco de suplentes possa prejudicar a equipa.

"Não estar no banco tira mais a mim, do que à equipa. O grupo sabe o que trabalhámos durante a semana e não valorizou esta questão. Claro que me custa, porque gosto de viver estes momentos com os jogadores, mas vou gerir essa falta com a máxima tranquilidade", vincou o técnico.

Serenidade mostrou também Miguel Cardoso sobre o afastamento das vitórias da equipa nas últimas jornadas, considerando que tal tenha acontecido por "pormenores", e acreditando na capacidade do plantel em inverter essa situação.

"Não temos mais pontos, que nos dariam mais conforto, devido a pormenores que têm feito a diferença nos últimos jogos. Temos de perceber porque não fomos capazes de somar mais pontos, mas não perder o alento do que de bom foi feito", analisou.

Miguel Cardoso desvalorizou, igualmente, o facto de o treinador dos ‘arsenalstas’, Carlos Carvalhal, que orientou a equipa vila-condense na época passada, lembrando que "o grupo desta temporada é diferente", e não considerando que os minhotos possam tirar vantagem desse facto.

"O que espero é um Sporting de Braga à imagem do que tem sido, com uma época regular e nivelada por cima, encostado aos lugares cimeiros e com objetivos superiores. Será uma equipa fiel a si mesma, com uma ideia de jogo clara, que tem dado resultados, até pela mais-valia das suas individualidades", analisou Miguel Cardoso.

Apesar de o conjunto bracarense só ter vencido um dos últimos quatro jogos, o treinador do Rio Ave não vislumbra uma fase negativa no adversário.

"Não alinho em momentos melhores ou piores quando falamos em adversários valiosos e que têm a capacidade de gerir com trocas de jogadores um ou outro momento menos bom que possa existir", concluiu.

Para este desafio, o conjunto da foz do Ave não pode contar com o médio Pelé e o guarda-redes Leo Vieira, que terão de cumprir um jogo de castigo, juntando-se aos indisponíveis por lesão Jambor, Júnio Rocha e André Pereira.

O Rio Ave, 12.º classificado, com 28 pontos, recebe no sábado o Sporting de Braga, quarto, com 54, numa partida agendada para as 20:30, que terá arbitragem de Nuno Almeida, da Associação de Futebol de Braga.