Portugal
Moreirense e Rio Ave empatam a um golo em Moreira de Cónegos
Redação
2021-03-14 17:00:00
Cónegos caem para o oitavo lugar, logo acima da formação de Vila do Conde

Moreirense e Rio Ave empataram hoje a uma bola, num encontro da 23.ª jornada da I Liga de futebol, disputado em Moreira de Cónegos, em que o pragmatismo minhoto penalizou a reiterada ineficácia vila-condense.

Aderllan Santos adiantou os forasteiros, aos sete minutos, mas os anfitriões repuseram a igualdade, aos 83, por Felipe Pires, não evitando, ainda assim, a sexta partida consecutiva sem vitórias como visitados sob alçada de Vasco Seabra.

O Moreirense caiu para o oitavo lugar, com 30 pontos, sendo ultrapassado pelo Santa Clara, que triunfou no sábado na receção ao Portimonense (2-0) e passou a somar 31, enquanto o Rio Ave permanece em nono, com 26, sete acima da zona de descida.

A superioridade territorial dos vila-condenses nos instantes iniciais ficou expressa logo ao sexto minuto, numa jogada de insistência de Francisco Geraldes travada com aperto por Mateus Pasinato, após um cruzamento perigoso de Carlos Mané que ninguém desviou.

Ato contínuo, Sávio cobrou um canto na esquerda e Aderllan Santos procurou discutir a bola com Filipe Soares ao segundo poste, tendo o esférico batido de forma fortuita no ombro do médio minhoto e desbloqueado o marcador para a equipa de Miguel Cardoso.

Os pupilos de Vasco Seabra viram-se forçados a subir linhas para intensificar a pressão, embora tenham pecado na definição no último terço, somando apenas duas situações pelos pés de Yan, aos nove e aos 15 minutos, ambas controladas por Pawel Kieszek.

Desse atrevimento alheio beneficiou o Rio Ave, cuja mobilidade do trio atacante, apoiado por Francisco Geraldes, permitia explorar desequilíbrios em contra-ataque, vincados em remates desenquadrados de Gelson Dala, aos 27 e 29 minutos, e Carlos Mané, aos 38.

A partida prosseguiu em bom ritmo no reatamento e o Moreirense chegou a introduzir a bola na baliza de Pawel Kieszek aos 49 minutos, mas Rafael Martins foi apanhado em posição irregular aquando do cruzamento de Abdu Conté na esquerda.

Igual desfecho sucedeu três minutos depois, na área contrária, com Mateus Pasinato a facilitar na oposição a um cabeceamento de Borevkovic, na sequência de um canto de Sávio na esquerda, e a equipa de arbitragem a assinalar fora de jogo a Gelson Dala.

Miguel Cardoso refrescou o meio-campo face aos maiores riscos tomados por Vasco Seabra e viu Rafael Camacho acertar no poste, já com Pasinato fora do lance, aos 63 minutos, depois de Carlos Mané se isolar, ao captar um atraso defeituoso de Rosic.

O avanço do relógio mostrava um Moreirense desinspirado e descoordenado no controlo da profundidade, tendência na qual o Rio Ave voltou a perdoar nova ocasião clamorosa, aos 81 minutos, com Gelson Dala, servido por Guga, a falhar uma emenda fácil na área.

A dever a si próprio maior conforto no marcador, o Rio Ave acabou penalizado a sete minutos do fim, quando o recém-entrado Felipe Pires tabelou em sucessivos momentos com Gonçalo Franco e Rafael Martins e revelou frieza à saída de Pawel Kieszek.