Portugal
Marítimo vence Rio Ave e deixa lugares de despromoção
Redação
2021-04-21 19:15:00
Formação de Vila do Conde soma o sexto jogo consecutivo sem vencer no campeonato

O Marítimo conquistou hoje três valiosos pontos diante do Rio Ave, em partida da I divisão de futebol, onde um golo solitário de Joel aos 12 minutos, permitiu à equipa madeirense fugir aos lugares diretos de despromoção.

Com esta vitória, o Marítimo recupera o 16.º lugar com que iniciou a jornada, mas perdeu provisoriamente para o Farense, ocupando a zona de ‘play-off’, com 27 pontos. O Rio Ave mantém-se com uma vantagem de dois pontos sobre os madeirenses, ocupando a 13.ª posição na tabela classificativa.

Para o embate da 28ª. ronda do campeonato, o Marítimo realizou várias alterações em relação à jornada anterior frente ao Belenenses SAD, com as entradas de Zainadine, Léo Andrade, China e Guitane, para as saídas de Andreas Karo, Marcelo Hermes, Lucas Áfrico e Jean Irmer.

Sem poder contar com Gelson Dala, Filipe Augusto e Pedro Amaral, todos castigados, o conjunto de Vila do Conde foi forçado a mexer na equipa, apostando em Fábio Coentrão, Pelé e Ronan David para render as saídas.

Separados por uma diferença pontual muito ténue, os dois emblemas tiveram um início de jogo completamente ligado à corrente, tal era o ritmo frenético com que procuravam chegar ao golo e conquistar os três preciosos pontos. 

Ainda ecoava o apito inicial do encontro, já o conjunto insular exigia castigo máximo após Alipour ser derrubado pelo guardião polaco Kieszek. Após revisão do VAR, o jogo prosseguiu com o Rio Ave a sair incólume. 

O golo não tardou em surgir, com assinatura de Joel, que juntou o sétimo na I liga à sua conta pessoal. Guitane solicitou Alipour na profundidade, que na cara do guardião ofereceu o tento ao companheiro camaronês.

 Os vila-condenses reagiram prontamente, com um cabeceamento de Tarantini a rasar o ferro da baliza de Amir, ao minuto 14, para no minuto seguinte por pouco não sofrer o segundo com Guitane a aproveitar-se de um atraso mal calculado de Pelé, valendo Kieszek à formação de Miguel Cardoso.

O Rio Ave encostou o Marítimo às cordas na procura de pelo menos resgatar o empate, que por pouco não surgiu pela cabeça de Fábio Coentrão, que intercetou um mau alívio do internacional moçambicano Zainadine, mas que acabou a errar a mira.

Numa jogada de entendimento dos homens do corredor direito ‘verde rubro’, Cláudio Winck servido por Edgar Costa, viu o seu cabeceamento embater com estrondo no ferro da baliza dos visitantes, recolhendo para intervalo a vencer pela margem mínima.

Na segunda metade do encontro disputado nos Barreiros, o conjunto da foz do Ave teve a oportunidade de igualar as contas após alguma confusão na grande área dos madeirenses, com algumas tentativas de remate contidas pela defesa da casa.

Júlio Velázquez realizou todas as substituições em apenas 10 minutos, forçado em duas ocasiões por problemas físicos de Pelágio e René Santos.

O conjunto liderado por Miguel Cardoso, ausente do banco de suplentes por cumprir castigo, dominou as incidências da etapa complementar, a cheirar o golo em dois lances espaçados em apenas um minuto.

Aos 85, livre de Meshino para Santos ao segundo poste acertar na malha lateral da baliza de Amir, que no minuto seguinte voltou a ser salvo, desta vez pelo poste a um remate de Guga.

Os madeirenses conquistaram três importantes pontos na luta pela manutenção, num encontro marcado, positivamente, pela ausência de ações disciplinares.