Portugal
"Lamento, porque o FC Porto já encheu de alegrias o país", reage o Governo
Redação
2021-03-17 22:00:00
João Paulo Rebelo confrontado com as críticas de Pinto da Costa

As críticas de Pinto da Costa, que acusou o Governo de estar mais preocupado a centralização dos direitos televisivos do que em ajudar os clubes a enfrentarem a pandemia de covid-19, foram recebidas com desagrado pelo secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo.

Confrontando com as declarações do presidente do FC Porto, o governante salientou “o respeito” que tem “por todos os dirigentes e clubes” e assumiu que não ficou “satisfeito” com o que ouviu.

“Lamento. Lamento porque tenho um enorme respeito por todos os dirigentes desportivos e por todos os clubes, que é ainda maior perante um clube como o FC Porto, que é um clube que tem reconhecimento nacional e internacional muito elevado, já encheu de alegrias o país, no futebol e noutras modalidades. Como secretário de Estado do Desporto e com o respeito que tenho, não fico satisfeito”, reagiu o secretário de Estado.

Foi o único comentário de João Paulo Rebelo sobre o tema, durante uma entrevista à SportTV, na qual foi também abordado o cenário do regresso do público aos estádios. “Espero que seja o mais brevemente possível, tenho dito que o público faz parte do espetáculo desportivo”, comentou.

Aludindo ao plano de desconfinamento apresentando pelo Governo, o secretário de Estado lembrou que os eventos com público ao ar livre “devem poder acontecer a partir de 19 de abril” e “os grandes eventos (o plano até faz essa especificação) a partir do dia 3 de maio”.

“Isto significa sempre que é um plano. Ajudemo-nos todos para que a atividade epidémica se mantenha como nas últimas semanas e não será o Governo a obstaculizar [o regresso do público], muito menos a Secretaria de Estado”, reiterou João Paulo Rebelo.

Logo após o primeiro-ministro, António Costa, ter apresentado o plano de desconfinamento, o presidente da Liga, Pedro Proença, manifestou o desejo de ver os adeptos nas bancadas já a partir de 19 de abril.

“Há um conjunto de reuniões, de encontros que têm de ser feitos, mas a decisão, como tem acontecido no último ano, caberá sempre em última instância às autoridades de saúde. Há um plano, 19 de abril, há uma expetativa de todos. Seria de estranhar até que [Pedro Proença] não estivesse expectante, todos temos essa vontade. Trabalharemos todos para isso”, respondeu o governante.

João Paulo Rebelo lembrou que, “nos últimos meses”, foram realizados vários “testes-pilotos” para o regresso dos adeptos aos estádios, “com público em jogos da I Liga, da II Liga e da seleção nacional”. “Esses pilotos correram bem, não houve qualquer notícia negativa a esse respeito”, frisou.

“Há esse bom indicador do futebol, que eu alargaria a todo o desporto. Se há setor que está habituado a cumprir regras é o desporto”, insistiu o secresário de Estado.

Remetendo sempre a decisão final “para as autoridades de saúde”, João Paulo Rebelo adiantou que tem feito “sugestões” para que continuem a ser realizados “testes-pilotos”, para aumentar a “confiança” de todos os envolvidos, incluindo os adeptos.

“Os próprios espetadores devem ganhar confiança e consciência. É feita muita comparação com outros setores, como teatro e cinema. Imagine-se num teatro ou num estádio, o comportamento não é o mesmo. Esses testes dos últimos meses correram bem", finalizou.